Cultura São Sebastião

As panelas de Dona Adélia nas mãos de Cida Ivanov

Cida Ivanov Foto: Divulgação

No dia do ceramista (28), a lembrança de uma tradição que resiste

Por Adriana Coutinho

Nossa região é referência em arte cerâmica. Nos quatro municípios há artistas produzindo e ministrando cursos em seus ateliês. Em vários estilos, seja escultórica e artística ou utilitária, a cerâmica tem se destacado como artesanato identitário do Litoral Norte, fortalecendo os artistas como um todo, um núcleo em constante criação.

No “Dia do Ceramista” lembrado nesta segunda-feira (28), o Tamoios News traz uma homenagem à uma das principais ceramistas tradicionais de São Sebastião, Dona Adélia Barsotti da Ressurreição, a mestra na arte da panela de barro, falecida em 2003. Seus saberes seguem vivos pelas mãos da ceramista Cida Ivanov, que dá continuidade à arte deixada pela caiçara, às futuras gerações.

“Conheci Dona Adélia em 2001, no projeto do Sebrae “Arte que vale” que tinha o objetivo de identificar artesãos já com idade avançada que possivelmente não iriam transferir seus saberes. Ela já estava bastante adoecida nessa época, mas nos ensinou sua habilidade de transformar o barro”, relembra Ivanov.

Paulistana, Cida chegou em São Sebastião há 20 anos, de família de musicistas e artesãos, em busca de uma vida mais tranquila e alternativa junto às filhas, produzia e vendia seu artesanato, quando viu a oportunidade de aprender a arte cerâmica e transmiti-la.

O grupo de aprendizes do projeto, chegou a formar uma cooperativa (Cooperarte) porém foi extinto há 10 anos. “Então montei meu Ateliê “Cerâmica do São Francisco” onde produzo com mais dois ajudantes e também ministro cursos. Implantei também o projeto ‘A terapêutica da natureza através do barro’ na APAE, que existe desde 2009, visando utilizar o barro como terapia, com uma linguagem adequada para as pessoas portadoras de necessidades especiais. O barro é uma missão”, comenta a ceramista.

Cida Ivanov recebe escolas, grupos de jovens e terceira idade em seu espaço e faz palestras sobre a cerâmica, a técnica de modelagem indígena chamada “acordelamento”, aprendida por Dona Adélia no século passado, transmitida por várias gerações às mulheres de sua família – e aplicada até hoje por ela. “Ainda utilizo também as ferramentas tradicionais, o “coité”, feita de cabaça e a “coroânha”, conhecida por olho de boi para dar o acabamento em minhas peças”.

Divulgação

A ceramista também ministra aulas em seu ateliê. Lá é possível adquirir as tradicionais panelas, caldeirões, moringas, cuscuzeiras e obras decorativas como luminárias e vasos entre outros.

“É muito rico que as pessoas lidem com o barro. É cultural e terapêutico ao mesmo tempo. Em pesquisas recentes, descobri porque sempre sinto que a cerâmica é mágica: é que quando manuseamos o barro, estamos trabalhando e criando a possibilidade de reestruturar nossa essência. Amo o meu trabalho e poder dar continuidade à essa tradição é um presente para mim”, finaliza Ivanov.

Dona Adélia Barsotti
Foto: Acervo Cida Ivanov

Dona Adélia – Nasceu em 1917, em São Sebastião e foi a última mestra na arte da panela de barro do bairro de São Francisco, que chegou a ter 100 paneleiras. Foi mãe de 11 filhos, porém, nenhum seguiu sua arte. Faleceu em outubro 2003, aos 86 anos de idade. Seu patrimônio segue sendo produzido no mesmo bairro, pelas mãos de Ivanov.

Ateliê – O “Ateliê Cerâmica do São Francisco” de Cida Ivanov, fica na Rua Martins do Val, nº29, no bairro São Francisco. Os interessados em agendar as visitas guiadas podem obter mais informações pelo telefone (12) 992271551 ou pelo e-mail cida_ivanov@yahoo.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.