Articulista & Colunista

Os problemas urbanos na agenda social – uma apresentação

Por Lucas Martins

Neste artigo inaugural agradeço ao Portal Tamoios News a oportunidade de ocupar o espaço de uma coluna. Intenciono apresentar mensalmente reflexões que possam chamar a atenção da população, especialmente do Litoral Norte (Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba), sobre questões ligadas à Arquitetura e Urbanismo e ao Planejamento Urbano e Regional, ou seja, a problemas relacionados ao modo como construímos e habitamos nossas cidades.

Espero apresentar opiniões embasadas em bons argumentos vindos da minha atuação profissional e de pesquisa, orientados, sempre, pelo interesse público em detrimento do interesse privado. Certamente, o leitor que discordar de algumas poderá contribuir com a discussão, clarificando ainda mais os problemas que evidenciarei, além de corrigir-me naquilo que me enganei.

Questões sociais e ambientais do dia-a-dia chamam-me muito a atenção. Sabemos que cidades do Litoral Norte somam mais de 300 mil habitantes e são destinos turísticos nacionais e internacionais devido as suas belezas naturais. No entanto, é visível que a riqueza gerada por esta e outras importantes fontes de receita não é adequadamente investida na melhoria de qualidade de vida da população, especialmente dos pobres e miseráveis, que não são poucos, basta consultarmos os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O fato é que a cidade turística é a prioridade para investimentos públicos, gastam-se dezenas de milhões de Reais em qualificar o espaço para o turista, mas não se gasta alguns milhares para a elaboração e execução de planos e projetos de melhorias para bairros de periferia, justamente onde mora a maioria dos habitantes e onde os riscos socioambientais são maiores. Portanto, não há equilíbrio nesta balança. O jogo de interesses privados que comandam os investimentos públicos é complexo, portanto, não quero aprofundar neste tema, por enquanto.

Não bastam Planos Diretores com boas intenções apresentados em audiências públicas para garantir cidades desenvolvidas. É preciso que sejam colocadas em prática as diretrizes para os problemas neles elencados. Desse modo, comentarei, aqui, tais problemas apresentando possíveis soluções que contribuirão para minimizar a desigualdade urbana que vivemos.

Envie sua sugestão ou crítica para lmdeoliveira@gmail.com.

Lucas Martins de Oliveira

Arquiteto e Urbanista – CAU A87115-0

Mestre e Doutorando FAUUSP

1 Comentário

  • Parabéns Mt. e Doutorando Lucas Martins. Com certeza, se o Plano Diretor das cidades fossem elaborados para amenizar os problemas nelas apresentados e cumpridos de acordo com o interesse da população, estaríamos com a melhor qualidade de meio ambiente e tudo mais de uma cidade. Grande abraço e parabéns pelo trabalho.

Deixe um Comentário