Geral São Sebastião

Aprovada, há nove meses, Zona Azul ainda não saiu do papel

Projeto foi aprovado pelo Poder Público em novembro do ano passado

Aprovado há nove meses pela câmara o projeto de implantação da Zona azul na cidade ainda não saiu do papel. Não existe previsão de quando será instalado, segundo a prefeitura.

Segundo a prefeitura, que propôs o projeto aprovado pelos vereadores em outubro do ano passado, o estacionamento rotativo pago – a chamada Zona Azul, em São Sebastião ainda não tem data para ser implantada.

O Departamento de Trânsito (Detraf) da Prefeitura informa que não há prazo estipulado. Somente quando forem concluídos estudos para a implantação e quando for definida a empresa operadora do sistema, é que as vagas passarão a ser cobradas.

Projeto

O projeto promoveu algumas alterações no texto original. A tarifa cobrada no Centro Histórico não poderá exceder o valor de R$ 2 por hora, por exemplo. Já nas demais regiões da cidade o valor será estipulado por decreto do prefeito. Também foi vedada a cobrança na Rua da Praia, e responsabilizada a concessionária, que operar o serviço, por eventuais furtos, roubos ou danos.

As tarifas serão cobradas por períodos de 15 minutos. Os valores arrecadados devem ser divulgados no Portal da Transparência. Entre as outras alterações, está a criação do “cartão morador”, concedido a proprietários de veículos, que residem em ruas abrangidas pela Zona Azul, e que não possuem garagem.

A Zona Azul não deve ser limitar ao Centro Histórico da cidade deve chegar também a Vila Amélia, Praia das Cigarras e Praia do Guaecá. Estudos estão sendo feitos no sentido de definir quais ruas exatamente serão abrangidas pelo sistema de cobrança.

Opiniões

A implantação do sistema Zona Azul divide opiniões na cidade. O professor Thiago de Melo Curci entende que a Zona Azul é desnecessária na cidade.

Júlio E. Sousa, morador da região central de São Sebastião, diz não acreditar no sucesso do projeto pois, segundo ele, no verão deverá faltar vagas para estacionar.

Josimar Bernardo Junior, morador da Costa Norte do município, fala que as pessoas que precisam ir constantemente ao Centro encontram dificuldades de estacionar, não apenas por perder vagas para veículos de lojistas, mas também de servidores municipais, que ocupariam quase todas as vagas existentes.

“Qualquer coisa que tire mais dinheiro do contribuinte é ruim. Nós, que vamos ao Centro fica muito ruim conseguir alguma vaga para estacionar. Mesmo que seja por cinco minutos. As vagas do Centro Histórico é tomado pelos carros dos lojistas e também dos funcionários públicos”, relata.

A comerciante Flávia Monteiro, dona de uma loja no Shopping Fama, é contraria a implantação da Zona Azul na cidade. “Vai atrapalhar, já que para escapar da Zona Azul muitos vão tomar as poucas vagas que há no shopping, e que não são nem lojistas, nem clientes das lojas do Fama”, disse.

Já Mariana Ribeiro se coloca favorável. “Acho que vai ser muito bom para o comércio”. Ela é proprietária de um estúdio de pilates, e crê que a Zona Azul possa permitir um fluxo maior de clientes. Porém, admite que ouve queixas de seus alunos quanto a vagas no Centro. “Para quem vem de longe, de outros bairros, e trabalha aqui todo dia, como eu, vai ser complicado”, confessa.

 

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.