Esportes Litoral Norte

Ubatubense Weslley Dantas quer mais um título para a família em Maresias

Foto Munir El Hage/Divulgação

 

Etapa decisiva está confirmada para este sábado e domingo na Praia de Maresias, em São Sebastião 

 

Pela segunda vez na história do Circuito uma família pode ter dois irmãos como campeões paulistas. Depois dos Salazar,  Almir (único tetracampeão) e Picuruta, ainda na década de 80, agora é a vez dos Dantas. Líder do ranking e único a ter feito duas finais este ano, Weslley Dantas, de Ubatuba, pode garantir o mesmo feito que seu irmão, Wiggolly Dantas, em 2014, antes de ingressar no WCT. O surfista de apenas 19 anos é um dos grandes destaques na 3ª e última etapa do Maresia Paulista de Surf Profissional, confirmada para sábado e domingo (7 e 8), na Praia de Maresias, em São Sebastião.

Na competição, será conhecido o 34º campeão paulista e também estarão em jogo importantes 3 mil pontos para o ranking da Abrasp, que define o título brasileiro 2017. Serão R$ 30 mil em premiação, com R$ 8 mil ao melhor do final de semana, uma moto ok ao campeão do Circuito, oferecida pela oferecida pela Surf Trip, Kyw e Super Tubes, e ainda a Overboard Expression Session, com mais R$ 1 mil ao autor da manobra mais radical.

Para Weslley, a situação exige muita concentração. Ele sabe da importância do título, mas descarta a pressão, tanto pela liderança quanto pela chance de aumentar a galeria de conquistas da família Dantas. “Para mim é tudo novidade. É tudo a primeira vez. Tive a primeira vitória no Circuito, é a primeira vez que sou líder. Então, estou tentando aprender um pouco com o Guigui (Wiggolly) o que tenho de fazer, as técnicas, as táticas nas baterias para não errar, porque é um título muito importante para mim”, comenta.

“Estou focado e vou fazer um bom trabalho. Espero ser campeão paulista como o meu irmão e também quero o título brasileiro, que estou correndo atrás. Mas o que mais quero é competir bem e mostrar, não só no Paulista, no Brasileiro, mas para o Mundo o meu surf e do que sou capaz. Quero mostrar o meu talento”, acrescenta o surfista, que se sentem bem em competir em Maresias. “É uma onda que eu gosto, que favorece o meu surf. Sempre que tem swell estou indo lá”, diz.

Apesar da vantagem na classificação geral do Paulista, Weslley nem pensa em fazer contas ou torcer contra outros atletas para chegar ao título. “Eu nunca observei atleta algum. Todo mundo lá surfa bem, tem potencial para ganhar. Eu tenho uma coisa pessoal que não gosto de ver com quem vou competir. Eu vou na hora, pego a lycra e vejo. Vou para fazer o meu surf, o meu trabalho. Se der certo, vou comemorar, se não for, vou voltar com maior vontade no ano que vem. Nada de pressão, porque isso gera perda”, avalia.

Terceiro colocado na etapa inicial, na Praia de Itamambuca, e vencedor na Praia Grande, ambas em Ubatuba, Weslley se destaca pelo seu surf extremamente radical, sobretudo com os aéreos. Ele explica que a manobra é executada desde criança e condiciona a boa execução também a um trabalho psicológico. “Tenho essa facilidade desde moleque. Com a minha estatura mais forte, por ser grande, muito largo, é um pouco difícil, mas o que a mente manda, o corpo obedece. Eu tenho muito foco”, determina.

Apesar dos 19 anos, Weslley apresenta um amadurecimento em relação a fase da carreira como amador. Ele atribui à mudança drástica e suas conquistas internacionais – foi campeão mundial júnior sub18, pela International Surfing Association (ISA) e também campeão sul-americano pro júnior, pela World Surf League (WSL). “Aconteceu tudo rápido e mudou minha vida. Amadureci rápido”, ressalta.

“Aprendi que preciso estar mais focado. Isso já vem do meu irmão, da minha mãe (Eliane). Guigui é um grande exemplo de foco, treinamento, força de vontade. Também aprendo muito com a Suelen (Naraísa, irmã)”, conta, mas já sabendo o que quer. “Sei onde posso chegar e quero isso. Se fui campeão mundial júnior e sul-americano pro júnior, sei que posso chegar na WSL, posso chegar lá. Enquanto não entrar no WCT não vou parar”, anuncia.

No ranking paulista, Weslley tem 1.730 e vem seguido por três conterrâneos. Geovani Ferreira soma 1.470, Wesley Leite, 1.310 e Tales Araújo, 1.130. O palanque das disputas será montado no meio da Praia e as baterias já estão disponíveis no site da Federação Paulista de Surf – http://www.fpsurf.com.br/eventos/17/pro/pro03/pro03b01.php. O evento terá transmissão ao vivo pela internet, no link www.maresia.com.br/paulistapro2017/ao-vivo ou pelo Facebook da marca, o www.facebook.com/maresiaoficial/.

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.