Meio Ambiente São Sebastião

Cachorros e bitucas de cigarros são alvos na Operação Litoral Limpo em Camburi

Fonte: 4KDRONECAMBURI/ Divulgação

A campanha educativa Operação Litoral Limpo 2018, em Camburi – na Costa Sul de São Sebastião, já contabiliza dados estatísticos preocupantes, na segunda semana da ação. O número de abordagens a turistas, a retirada de micro lixos e de solicitações para a retirada de cachorros da praia são considerados pelos organizadores como “bastante significativos”. Gráficos revelam que ainda há maus hábitos por parte dos usuários de praia que desfrutam mas não contribuem para a manutenção da qualidade de vida na região.

Os agentes ambientais devidamente uniformizados fizeram 3.653 abordagens sobre questões problemáticas e comuns na região, como resíduos sólidos – com a coleta de cerca de 7990 micro lixos (maioria bitucas de cigarros e canudinhos de plástico), e a presença de animais. Para se ter uma ideia, foram registrados cerca de 70 abordagens a banhistas com cachorro na praia. O objetivo é a conscientização e adoção de boas condutas para a manutenção da qualidade do meio ambiente e de vida em geral na Praia de Camburi.

A equipe técnica ambiental da Associação de Surf, Cultura e Ambiente de Camburi (ASCAM) avalia a necessidade de mais participação de outros atores locais, dos setores públicos e privados em prol de um futuro mais consciente e com melhor qualidade de vida e ambiental para as atuais e futuras gerações.

Usuários de praia que levaram cachorros, receberam “cartão Amarelo” com o número da Lei Municipal, com valor de multa de R$ 600. A maioria acatou se retirando da praia juntamente com seus animais

Plantio – A Operação Litoral Limpo também contemplou o plantio de mudas nativas da Mata Atlântica no Ilhote, cuja doação foi do Instituto de Conservação Costeira (ICC). O Ilhote localizado entre as praias de Camburi e Camburizinho é um pequeno fragmento de Mata Atlântica, que faz contato com o mar e se encontra isolado. Devido à sua posição privilegiada entre as duas praias e seu aspecto rochoso nas laterais, o local é apreciado pelos frequentadores da região.

O evento reuniu membros da ASCAM, do Coletivo Costa Sul e do ICC com cerca de 30 voluntários, sendo a maioria crianças que participaram ativamente na retirada de todo o “micro” lixo encontrado no Ilhote, na orientação e conscientização de visitantes, assim como no plantio de árvores com o isolamento por fitas zebradas de trilhas secundárias.

No total foram plantadas 26 árvores nativas da Mata Atlântica brasileira, as espécies escolhidas foram o Araçá-amarelo (Psidium cattleyanum), Ingá (Inga edulis), Tapiá (Alchonea glandulosa), Quaresmeira (Tibouchina glandulosa), Manacá (Tibouchina mutabilis), Ipê-amarelo (Handroanthus chrysotrichus) e Aroeira (Schinus terebentifolius).


Dias anteriores ao plantio, os técnicos responsáveis pelos projetos da ASCAM realizaram também uma avaliação das condições do fragmento florestal situado no Ilhote de Camburi e constataram uma série de irregularidades ambientais como a perda da biodiversidade causada pela infestação de uma árvore exótica – o Abricó-da-praia (Mimusops coriacea). Além da presença de trilhas secundárias causando o mesmo efeito negativo sobre as espécies vegetais e da fauna nativas que vivem no local, como o Esquilo Caxinguele (Guerlinguetus ingrami) e Abelhas Iraí (Nannotrigona Testaceicornis).

5 Comentários

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.