Meio Ambiente

Coral-sol: um invasor perigoso nas águas do Litoral Norte

Foto: WWF-Brasil

De acordo com pesquisa, a espécie está se espalhando com muita velocidade, ocupando 100% dos costões da região da Ilha dos Búzios, em Ilhabela

Por Raell Nunes, de Ubatuba

A tomada de assalto do coral-sol nas águas do Litoral Norte é uma realidade, assim como a ameaça evidente ao ecossistema marinho. Considerada uma invasora, conforme o Ministério do Meio Ambiente, a espécie, que é bela e atraente aos olhos, provoca um impacto estrondoso ao ambiente e foi introduzida no país através de plataformas de petróleo durante exploração da Bacia de Campos.

O assunto polêmico ainda é pouco discutido. Entretanto, o tema preocupa ambientalistas. Durante a Semana do Mar, realizada pelo Tamar, Aquário de Ubatuba e prefeitura, houve um debate para expandir o conhecimento sobre o temerário coral-sol. Representantes do Ministério Público Federal e outros órgãos ambientais estavam presentes.

Num período de 3h, os preocupados com a causa ambiental expuseram que o coral-sol foi se alastrando para muitas regiões do Brasil, por exemplo, na Baía de Ilha Grande (RG), onde causou estragos. No Litoral Norte, a espécie foi identificada pela primeira vez em Ilhabela, no ano de 2008.


Está comprovada a diminuição da quantidade e diversidade de peixes onde o coral-sol está presente, afirmou o oceanógrafo Hugo Gallo


Segundo um serviço realizado pelo pesquisador Marcelo Kitahara, em parceria com a gestora do refúgio da Vida Silvestre de Alcatrazes, Kelen Leite, a espécie invasora e danosa está se espalhando com muita rapidez, ocupando 100% dos costões da região da Ilha dos Búzios, em Ilhabela.

Para o oceanógrafo e presidente do Instituto Argonauta, Hugo Gallo, há cada vez mais relatos de mergulhadores e pescadores que vêm observando esse “animal” em diversos costões da região. “Está comprovada a diminuição da quantidade e diversidade de peixes onde o coral-sol está presente”, acrescentou.

Gallo ainda esclareceu que todo este panorama ameaça a atividade pesqueira e, principalmente, as comunidades locais que sobrevivem destes recursos naturais, que, segundo relatou, já estão escassos, devido a outras ameaças, “como a pesca predatória em escala industrial, poluição e destruição de forma geral dos ambientes costeiros”.

Vista da Ilha de Búzios, em Ilhabela Foto: ilhabela.com.br/Divulgação

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.