Meio Ambiente São Sebastião

ICMBio debate exploração turística em Alcatrazes

Leonardo Rodrigues/TN. Encontro com operadoras de mergulho e empresas interessadas aconteceu nessa quinta-feira (13)

Portaria que permite e regulamenta exploração turística no Refúgio será assinada dia 4 de agosto

Por Leonardo Rodrigues, de São Sebastião

O Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente, se reuniu com proprietários de operadoras de mergulho, de empresas do trade turismo e o Conselho Municipal de Turismo de São Sebastião (Comtur)  para discutir o Plano de Uso Público e as atividades permitidas no Refúgio de Alcatrazes.

À frente da chefia do ICMBio em São Sebastião está a bióloga Kelen Luciana Leite, que revelou assinatura de portaria que oficializa e regulamenta a exploração turística no local no próximo dia 4 de agosto.

“Vale destacar que a permissão de visitação não é o objetivo principal para o ICMBio, mas está como secundário”, ressalta. Ela ainda afirma que há uma gestão compartilhada do arquipélago com a Marinha do Brasil. Os exercícios de tiro realizados em Alcatrazes continuarão sendo realizados pelo menos uma vez por ano.

Kelen também destaca que haverá pontos específicos para mergulho e exploração turística, já que trata-se de uma área de restrição e refúgio ambiental, na qual atua a estação ecológica. “O que estamos fazendo é dar a oportunidade de começar a visitação no local com planejamento e de forma regrada”, comenta ao revelar que, para a instituição, este início de visitação e exploração turística é classificado como algo experimental.

Segundo Kelen, o esforço do ICMBio em São Sebastião é propiciar a autorização às operadoras de mergulho locais. “Nossa ideia é que não haja competitividade no processo. Desde que as operadoras candidatas preencham pré-requisitos técnicos mostrando que estão aptas ao serviço”, pontua.

Foto: Beatriz Rego

Os pré-requisitos falam desde as exigências para as embarcações, classificação, número de passageiros, salvatagem, disposição de dejetos, inspeções, monitores de mergulho, agendamentos, entre outros. Além de tratar também sobre a quantidade diária de mergulho, a atividade noturna e a ambientação na água. O ICMBio que é responsável pelo controle ambiental do lugar, acompanhará as visitações para assegurar a viabilidade comercial e também a preservação do área.

O secretário adjunto de Turismo, Cristiano Teixeira Ribeiro, afirmou que o Poder Público esta à disposição para a divulgação das atividades. “Isso significa desenvolvimento para São Sebastião. Assim que as atividades se estruturarem, eles vão precisar de um planejamento de marketing e nós estamos à disposição para ajudar”. Na opinião de Ribeiro, o sucesso da iniciativa não depende apenas do ICMBio, mas também da organização das operadoras de mergulho.

Alexandre Prado proprietário de uma Escola e Operadora de Mergulho disse que a reunião cumpriu com seu objetivo de ressaltar a importância de todos apoiarem a iniciativa e cooperarem para preservação do local.

“A reunião foi de extrema relevância, pois contribuiu para esclarecer e definir procedimentos em relação aos exercícios das atividades propostas. O propósito é preservar, a fim de que futuras gerações também conheçam Alcatrazes como é hoje. Mais do que uma visitação em um local de preservação é poder ter consciência, respeito e colaborar para que esse local continue da mesma maneira que é”, disse Prado.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.