Meio Ambiente São Sebastião

Mutirões promovidos pela prefeitura limpam manguezais da cidade

 

Agenda prevê mutirões em cinco mangues da região; Nesta quinta a ação será no mangue Colhereiro, próximo à balsa

 

A Prefeitura de São Sebastião, através das secretarias de Meio Ambiente (SEMAM) e de Serviços Públicos (SESEP), deu início nesta quarta-feira (25) a uma ação socioambiental em comemoração ao Dia Mundial de Proteção aos Manguezais – 26 de julho.

A ação está sendo realizada em parceria com o Instituto Terra e Mar, Argonautas, Projeto Garoçá, Cia Docas São Sebastião (CDSS), Supereco, Instituto Conservação Costeira (ICC), APA Marinha, Dersa, Thunder Ocean Limp e Verdescola, e voluntários. Ao todo, foram três horas de trabalhos hoje pela manhã no Mangue do Araçá, no Varadouro, Região Central da cidade

Segundo a assessora de gestão da SEMAM, Simone Barbosa da Silva, foram retirados do local embalagens de bolacha, marmitas de isopor, garrafas pet, pneus, cordas, vidros, mangueiras, espumas, esponjas, panos, recipientes diversos de plástico e roupas em geral, que resultaram, de acordo com um cálculo prévio, em 677kg de resíduos sólidos descartados de forma incorreta.

Ao todo, cinco mangues recebem essa ação até sábado (28). Amanhã (26), o mutirão acontece no mangue Colhereiro, que fica próximo à balsa.

Na sexta-feira (27), Barra do Sahy – em parceria com o Instituto Verdescola e outras ONG’s – e Juquehy, na Costa Sul, receberão a ação; no sábado (28) é a vez do mangue da Enseada, na Praça do Kitesurf, Costa Norte, que contará com a participação das crianças do Projeto Garoçá.

“Temos obrigação de preservar esse ecossistema tão frágil. Os manguezais ocorrem em transições de ambiente úmido, e entre regiões costeiras e terrestres. Três quartos das espécies de peixes marinhos de interesse comercial dependem dos mangues para seu desenvolvimento”, comentou o secretário adjunto de Meio Ambiente, Alexandre Porfírio, que acrescentou que, do ponto de vista econômico e cultural, os mangues fornecem renda para muitas famílias em toda a costa brasileira.

Segundo o secretário, em São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba – onde há uma população tradicional caiçara que depende da pesca – é preciso preservar os mangues, caso contrário certamente os cardumes de peixes irão diminuir, afetando diretamente a economia pesqueira.

 

Trabalho continuado

A Prefeitura vem realizando a limpeza do Mangue do Araçá desde outubro de 2017. São feitas uma a duas ações por mês, com a retirada de uma média mensal de 26 sacos de 100 litros cada. “As pessoas, principalmente as que moram nas adjacências dos mangues, devem ter a consciência de que existem leis que protegem esses locais, considerados áreas de preservação permanente”, avisou Porfírio.

Segundo Simone, até hoje foram 15 ações de limpeza nos mangues do Araçá, Enseada e Colhereiro. Somente no Araçá foram 12 ações. “Há dois meses iniciamos no mangue da Enseada e fizemos a primeira no Colhereiro este mês. Já foram coletados aproximadamente 220 sacos de 100 litros de resíduos, o que equivale a 6.630kg”.

Ainda de acordo com a assessora da SEMAM, os resíduos encontrados em maior quantidade são: copos plásticos, latinhas, sacolas, garrafas pet e de vidro, papelão, plásticos, canudos, entre outros.

“É preciso proteger esses berçários da vida marinha. Por se tratarem de biomas ricos em matéria orgânica e nutrientes minerais, os mangues se tornam fonte de alimento para muitos animais e até mesmo para o homem”, explicou Simone, que convidou toda a população para participar dos mutirões. “Haverá um técnico para instruir na ação, todos são bem-vindos”.

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.