Caraguatatuba Ministério Público

Prefeitura, SPU, AGU e Quiosqueiros se reúnem com MPF em Caraguá

Representantes da Prefeitura de Caraguatatuba, da Advocacia Geral da União (AGU), da Superintendência Geral da União (SPU) e da Associação de Quiosqueiros da cidade estiveram hoje (9) reunidos no Ministério Público Federal de Caraguatatuba para mais uma rodada de negociações a respeito da situação dos quiosques instalados na orla marítima.

Durante a reunião, o MPF propôs à Prefeitura a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que estabelece cinco anos para abertura de nova licitação para a concessão dos quiosques. A proposta da Prefeitura é de que o prazo seja de 10 anos, renováveis por mais 10 anos, aos proprietários.

Ao final do encontro, ficou estabelecida a prorrogação, por uma semana, para que todos os envolvidos tenham conhecimento dos termos do TAC, antes da tomada de qualquer decisão.

Segundo o secretário de Assuntos Jurídicos da Prefeitura, Sandro Albok, esse prazo é necessário para que não só a Prefeitura estude o documento, como também para que os quiosqueiros conheçam e decidam a respeito do assunto.

Também participaram da reunião os secretários de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, Marcel Giorgeti, de Planejamento, Márcio Jorge Pereira, de Governo, Neto Bota, além do deputado Celso Russomano.

 

Quiosqueiros

Do lado de fora da sede do MPF, mais de 150 pessoas, entre proprietários de quiosques e funcionários, aguardavam o término do encontro.

Proprietária do quiosque 10 da Martim de Sá desde 1985, Espedita Alves da Silva, lembra da época em que o próprio Ministério Público determinou o fim dos trailers e a construção de quiosques. “Nós não tínhamos condições de construir, mas era isso ou nada. Demos nosso sangue por esses quiosques e agora, passamos novamente por mais essa provação”.

Maria Aparecida de Castro, também proprietária de quiosque na Martim de Sá, conta que está no negócio há mais de 20 anos e lamenta toda a situação, destacando que os quiosques são de grande importância para a cidade pois geram emprego e renda, atraindo turistas de diferentes municípios.

4 Comentários

  • Se já usaram o espaço por mais de 20 anos está na hora de outra pessoa usar ou acham que são donos da praia ? Vc p sentar na areia da praia não tem mais nem espaço tem que licitar mesmo , eles tanto acham que são donos que vendem os kiosks

  • Tá certo tem que licitar mesmo, já usaram muito por 20 anos está na hora de dar oportunidades para outros , eles vendem kiosk que nem São proprietários , só tem permissão de uso, esses da praia da Lagoa viraram até outeiro
    A dona do paladar comprou e agora ficam cheios de putas la

  • O bom seria o povo ir tb p protestar contra os quiosqueiros que cobram consumação uso dos banheiros e não deixam espaço na areia , tem que licitar mesmo e padronizar tem quiosque que desrespeitou e muito o padrão construindo trambolhões enormes na orla

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.