Caraguatatuba Notícias

“Foram socos e pontapés” relata bombeiro sobre agressões em ação sindical na UTGCA

Divulgação

Além de bombeiro, terceirizada da Petrobras também move ação contra sindicato por  ferir o direito de liberdade de seus colaboradores

 

Por Adriana Coutinho
Colaboração Leonardo Rodrigues

Um bombeiro ligado a empresa Infotec – terceirizados na Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba procurou a reportagem para relatar as agressões sofridas nessa quarta-feira (18), durante ação sindical que paralisou a entrada de trabalhadores na UTGCA. “Eram 10 em cima de mim, e de meu colega. Não foram os trabalhadores da UTGCA. Foram o pessoal do sindicato”, afirma ele, que prefere não se identificar por questões de segurança.

O bombeiro conta que ao chegar para trabalhar na manhã de ontem (18), ficou em dúvida se a paralisação contava com a participação do sindicato de sua categoria. “Sempre fui estatutário. Sou novo no regime celetista (vínculo empregatício regido pela Consolidação das Leis do Trabalho). Não entendo nada de sindicato, só queria saber se o sindicato dos bombeiros estava lá, ou não”, conta.

Ele relata que ao chegar na portaria perguntou aos presentes qual era o sindicato envolvido. “A resposta foram socos e pontapés. Me derrubaram. Jogaram minha moto, e a de meu colega no chão, e começaram nos agredir”, fala. Questionado se houve reação por parte dos bombeiros, ele é sucinto: “Como reagir a 10 contra um?”.

Segundo ele, outros dois colegas também sofreram ameaças. O bombeiro revela que processará o SINTRICOM (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Mobiliário e Montagem Industrial de São José dos Campos e Litoral Norte), sindicato que mobilizou a paralisação, em razão das agressões sofridas.

Empresa – A empresa INFOTEC se posicionou por meio de sua assessoria jurídica nesta quinta-feira (19), sobre o ocorrido com seus colaboradores bombeiros que foram impedidos de entrar para trabalhar na UTGCA. Eles foram agredidos fisicamente nessa quarta-feira (18). Segundo a empresa, com o objetivo de protegê-los, registrou boletins de ocorrências e exames de lesões corporais -corpo de delito – e encaminhados para cuidados médicos.

A reportagem questionou sobre as agressões, Tiago Nicolini, diretor do Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista SINDIPETRO-LP, que disse não estar no momento das agressões. “Não presenciei. Mas tudo logo se acalmou. A gente lamenta o ocorrido, não é uma situação confortável para ninguém, também ficamos preocupados com as agressões, pois não trabalhamos desta forma. A gente sempre trabalha com convencimento”.

Segundo Nicolini, a maioria dos funcionários das terceirizadas não conseguiram entrar para trabalhar neste dia – “Nosso sindicato sempre presta o apoio e solidariedade, mesmo representando os empregados próprios da Petrobras, quando há qualquer movimento, nós acompanhamos e apoiamos” – comenta.

De acordo com a empresa INFOTEC, providências judiciais foram tomadas e uma nova liminar, aumentando a multa contra o SINTRICOM, por ferir o direito de liberdade de seus colaboradores, o ir e vir, previsto no Art. 5, inc. XV da Constituição Federal de 88.

Reforça ainda, que os funcionários da INFOTEC terceirizados na UTGCA, são representados por sindicatos correspondentes às atividades por eles desempenhadas – Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra, Trabalho Temporário, Leitura de Medidores e Entrega de Avisos do Estado de São Paulo (SINDEEPRES – SP) e Sindicato dos Bombeiros Civis do Estado de São Paulo (SINDBOMBEIROS) e não a SINTRICOM.

Sobre o SINTRICOM ter afirmado que estava defendendo os direitos trabalhistas de seus colaboradores, a empresa nega. “Nossos gestores estiveram no dia 10, em Caraguatatuba e consultaram nossos funcionários e eles entenderam que o SINTRICOM não os representa e sentem seus direitos violados, coagidos e ameaçados por este sindicato”.

18 Comentários

  • É pena que um sindicato que já foi tão bem visto pelos trabalhadores esteja nas mãos de pessoas que o colocaram junto a um sindicato comprometido com a baderna, intimidação e agressão, o sindipetro representado pelo Sr Nicolini e Carmelito está mentindo, eles estavam sim no momento das agressões e não fizeram absolutamente nada para impedi Las, tanto é verdade que estavam lá que a todo momento que o presidente do sintricon anunciava em seu potente carro de som, que só não é mais potente que a massa de manobra que eles trazem juntos de si para bater e intimidar os trabalhadores, que a paralização era promovida pelo sintricon e sindipetro !

    • Qualquer um aqui pode comentar o que quiser…Promover a crítica e não querer se identificar, é muito fácil! Não venha querer denegrir a imagem do Sindipetro LP! Não cite nomes de pessoas que representam a entidade e não escreva calúnias! Nós entendemos a revolta daqueles que sofreram as agressões, mas os representantes do Sindipetro LP, nada tem a ver com isso! O Sindipetro LP prestou e irá sempre prestar solidariedade aos trabalhadores terceirizados da UTGCA! Calúnias e difamações não passarão!

    • O observador entendeu sim, ele estava no local e presenciou as agressões e a presença do sr Nicolini a menos de 3 metros de onde ocorreram os fatos, as imagens de segurança comprovaram a verdade !

      • Qualquer um aqui pode comentar o que quiser…Promover a crítica e não querer se identificar, é muito fácil! Não venha querer denegrir a imagem do Sindipetro LP! Não cite nomes de pessoas que representam a entidade e não escreva calúnias! Nós entendemos a revolta daqueles que sofreram as agressões, mas os representantes do Sindipetro LP, nada tem a ver com isso! O Sindipetro LP prestou e irá sempre prestar solidariedade aos trabalhadores terceirizados da UTGCA! Calúnias e difamações não passarão!

  • Bem esses arruaceiros travestidos de sindicalistas não passam de uns bandidos,querem representar a força de trabalho descendo o braço nos outros,então quer dizer que se os trabalhadores não se filiar a eles eles vão agredir.
    Deixando bem claro que estavam presentes o senhor Nicolini que faz parte do Sindicato da Sindipetro e deixou ocorrer a agressão física a 2 bombeiros que trabalham na UTGCA.
    Que em outras manifestações nunca foram barrados por se tratar de pessoas que trabalham com emergência,porém teve uma funcionária da empresa Infotec que inspirou o Sintricon a barrar os bombeiros desde então foram alvo constante da Sintricon,com ameaças e agressão já que alguns dias antes outros 2 bombeiros também foram alvos de agressão só não foi mas grave porque estavam no Shopping Serra Mar e a segurança inibil a ação.
    Fica aqui minha indignação desse Sindicato de baderneiros e bandidos.

    • Qualquer um aqui pode comentar o que quiser…Promover a crítica e não querer se identificar, é muito fácil! Não venha querer denegrir a imagem do Sindipetro LP! Não cite nomes de pessoas que representam a entidade e não escreva calúnias! Nós entendemos a revolta daqueles que sofreram as agressões, mas os representantes do Sindipetro LP, nada tem a ver com isso! O Sindipetro LP prestou e irá sempre prestar solidariedade aos trabalhadores terceirizados da UTGCA! Calúnias e difamações não passarão!

  • Bem esses arruaceiros travestidos de sindicalistas não passam de uns bandidos,querem representar a força de trabalho descendo o braço nos outros,então quer dizer que se os trabalhadores não se filiar a eles eles vão agredir.
    Deixando bem claro que estavam presentes o senhor Nicolini que faz parte do Sindicato da Sindipetro e deixou ocorrer a agressão física a 2 bombeiros que trabalham na UTGCA.
    Que em outras manifestações nunca foram barrados por se tratar de pessoas que trabalham com emergência,porém teve uma funcionária da empresa Infotec que inspirou o Sintricon a barrar os bombeiros desde então foram alvo constante da Sintricon,com ameaças e agressão já que alguns dias antes outros 2 bombeiros também foram alvos de agressão só não foi mas grave porque estavam no Shopping Serra Mar e a segurança inibil a ação.
    Fica aqui minha indignação desse Sindicato de baderneiros e bandidos.
    Espero que esse fato não ocorra mais.

    • Qualquer um aqui pode comentar o que quiser…Promover a crítica e não querer se identificar, é muito fácil! Não venha querer denegrir a imagem do Sindipetro LP! Não cite nomes de pessoas que representam a entidade e não escreva calúnias! Nós entendemos a revolta daqueles que sofreram as agressões, mas os representantes do Sindipetro LP, nada tem a ver com isso! O Sindipetro LP prestou e irá sempre prestar solidariedade aos trabalhadores terceirizados da UTGCA! Calúnias e difamações não passarão!

  • Sei que este momento eh lamentável devido o ocorrido com esses colegas de trabalho, mas não posso me abster de colocar minha visão abaixo ……
    Prezados colegas trabalhadores, precisamos escolher …..
    Confiar nas instituições sindicais apresentadas pelas empresas contratadas (que em sua maioria não conhece os trabalhadores contratados / empresas contratadas / UTGCA) pela Petrobras na UTGCA, ou buscar alternativas, seja via Sintricom ou outras entidades sindicais mais atuantes, ou no mínimo presentes, sabendo que essa tarefa deve partir dos próprios trabalhadores, também sei que eh difícil falar em Sindicato num Pais (Povo e/ou Governo) que sempre quis “rotular” esta Instituição de rebelde, comunista, badernista, bandoleira, desordeira e demais adjetivos pejorativos, mesmo em períodos em que esta atuação possuía cunho realmente sindical, haja vista, que no seu melhor período o Governante do Poder Central foi deposto – não estou falando de Dilma V. Rousseff, mas sim de João Goulart –, justamente por isso, dada a pressão dos detentores do Capital Nacional norteados pelos interesses dos detentores do Capital Estrangeiro, mas não vou me alongar nisso …
    O momento eh delicado …….
    Os direitos de todos os trabalhadores desse Pais foram roubados, torturados, cuspidos, humilhados, banalizados, e de maneira cruel considerando a forma que os executa (a nós), o faz legalmente capitaneado por – o que eh ainda pior – um péssimo cavaleiro, visto que sempre esteve às sombras de outros cavaleiros que se degladearam, e que também, se quer tem raízes em nosso Solo, a serviço duma Corte Europeia que permanece Imperialista, considerando o interesse daqueles, assim nos executam de maneira lenta , semelhante um Grande Campo de Trabalho Forçado nos tempo do Nazismo Alemão da 2ª Guerra Mundial.
    Não posso deixar de expressar minha tristeza no tocante ao nosso Povo (me incluo) que devido o doutrinamento estrangeiro de longo período não consegue enxergar nosso Pais como uma só Nação.
    Observando a História, não me recordo de resoluções ocorridas em mesas de reunião no que tange os momentos mais difíceis …..
    Nossa “Independência” não decorreu de Guerra, mas sim de um Ato Administrativo, com poucas palavras de um Colono Rebelde / Revolucionário, o filho do Rei da própria Metropole? Desculpem-me mas não posso acreditar nisso ….. ate onde sabemos a influencia politica portuguesa perdurou até a minha segunda decepção …. a pseudo Republica … digo isso em razão de quem a proclamou, um Marechal das Forças Armadas, que se auto-intitulou presidente …. ainda não consegui enxergar participação do Povo Brasileiro nisso…
    Deve-se cumprir o direito de ir e vir, bem como o direito de greve ….
    Só estamos aqui (como Humanidade) em função do senso de autopreservação do coletivo dos nossos ancestrais para com seus clãs, tribos ou bandos ….
    Enquanto o senso for o de autopreservação do individual o nosso coletivo ingressará na completa ruína ….
    Não sei de quem eh a culpa ……
    Tambem não sei quando isso irá mudar, se eh que um dia isso ocorrerá ……
    Desculpem minha ignorancia

  • Sempre confiei nas instituições sindicalistas e quando via o Sindipetro parado na entrada da UTGCA me sentia seguro e sabia que alguma revindicação boa estava em pauta, isso em outras gestões, nessa gestão que se juntou a um sindicato que agride, oprime, ameaça causa danos a bens particulares por bandidos contratos pelos sindicatos envolvidos, essa gestão me faz ficar com medo ao chegar ao trabalho e ver os veículos do sindipetro e seus representantes como o sr Nicolini e Carmelito, sabendo que presenciam os funcionários terceirizados sendo agredidos a socos e pontapés e não fazem nada para pedir, acredito que o apoio a outros sindicatos é normal e necessários mas a partir do momento que a agressão esse apoio deveria ser interrompido na mesma hora, acredito em ditado muito antigo que os mais antigos dizia que ” diga-me com quem andas que direi quem tu és!!! Traduzindo, quem anda com bandido bandido é!!!

    • Concordo plenamente com suas palavras Observador.
      Antes a gente ia trabalhar na UTGCA com seus direitos garantidos pelo Sindicato principalmente o Sintricon,agora como foi dito essa gestão que está lá agora e um bando de bandido arruaceiros quem mal sabe se expressar em seus discursos o presidente Ivan e seu vice assassinam a língua portuguesa.
      Esse Sindicato perdeu toda a moral porque se alguém não aceitar a se sindicalizar a eles eles agridem ameaçam.
      Temos o direito de escolha se que temos ou não tal sindicato e pelo que a gente sabe o Sindicato dos bombeiros e outro,e os coitados foram agredidos de forma covarde pelos sindicalistas da SINTRICON.
      Os bombeiros são da parte de emergência nunca foram barrados das outras vezes,porém dessa vez foram alvo de costantes ameaças e agressão levando em conta que a maior parcela da culpa disso ter acontecido foi da senhorita Chacon que insatisfeita com as novas condicionantes de trabalho imposta pela Infotec ela foi a favor da greve e inspirou o Sintricon a barrar os bombeiros por que ai a Infotec perderia a força de entrar então acarretou tudo isso;Não só eu como outras pessoas costatamos esse comentário dela para o pessoal do Sindicato nos primeiros dias da greve ainda bem que não trabalho no setor dessa moça que pelo visto só pensa nela e não mas consequências de suas palavras.

      • Os sindicatos, desde a revolução industrial, é quem luta pelos direitos dos trabalhadores. A corrupção e a forma violenta como muitas coisas são tratadas aqui, é uma característica desse país, por uma cultura com pessoas de nível de consciência extremamente baixos. Todos tem o direito de reivindicar! Agora, acusar qualquer pessoa pelos atos agressivos de uma instituição é muito grave! Se o SITRICON teve um comportamento desse, pode ter certeza que essa não foi a intenção de quem se mobilizou para ter algum tipo de assistência na região. O que certamente levou a todos, por unanimidade, a desistir de tentar negociar qualquer tipo de acordo com o sindicato, fazendo com que cada profissional procurasse o seu sindicato de categoria. Então, antes de citar nomes ou julgar, verifique os fatos e informações! Que fique bem claro, que ninguém apoiou ou apoia esse tipo de atitude! Os bombeiros são respeitados por todos!

      • Muito lamentável e sério o comportamento desta pessoa que está acusando pessoas nominalmente. Simples resolver isso é solicitar a justiça que procure o dono nominal da mensagem de acusação e que ela responda na justiça e apresente provas concretas do que diz. #ficaadica

      • Você não trabalha com a senhorita Chacon, pois eu trabalho e te digo que ela não está insatisfeita com as condicionantes da empresa porque nada mudou nas condições de trabalho dela, palavras dela, então um pouco mais de responsabilidade nos seus comentários, porque sua acusação é muito grave.

  • Meu nome é Rodolfo Martins, sou trabalhador portuário avulso no Porto de São Sebastião e membro do Fórum dos Sindicatos do Litoral Norte de SP, entidade esta que conta com a participação ativa do Sindipetro LP e do diretor sindical Nicolini.

    Estou escrevendo para reiterar a postura crítica, combativa, independente dos patrões e sempre em defesa da democracia operária e sindical que a direção do Sindipetro LP pratica, incluindo o diretor sindical Nicolini e Carmelito. Estão na linha de frente da organização dos operários do TEBAR e UTGCA e nunca deixaram de ser solidários às lutas das demais categorias (portuários, servidores municipais, trabalhadores da construção civil, sejam estes terceirizados ou não). Não à toa estiveram em apoio à luta dos terceirizados na UTGCA ao lado do Sintricon, como também não apoiaram e, pelo contrário, criticaram (é só ver a fala do Nicolini na matéria) a violência covarde que ocorreu. Se há dúvida sobre a postura do diretor sindical Nicolini no episódio sugiro que se crie uma Comissão com os agredidos, demais trabalhadores interessados, outros sindicatos da região, etc. para averiguar a conduta do mesmo, bem como esclarescer mais ainda o ocorrido. Este é o método da democracia operária, não fazer denúncias anônimas sem provas, somente com especulações.

    Passamos por um momento de duros ataques. A resistência irá continuar. É preciso continuar e aumentar a solidariedade de classe, bem como os métodos da democravia operária nos movimentos!!

    Em defesa das lutas dos terceirizados!
    Contra a punição aos lutadores!
    Contra a violência reacionária gangsteril no interior do movimento operário!
    Em defesa da democravia operária!

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.