Caraguatatuba Cidades

Moradores do Massaguaçu fazem protesto por segurança de banhistas

Fotos: Carlos Marcondes/ Divulgação

Eles solicitam que sejam retiradas as pedras que estão no mar e reconstrução do deck que a ressaca frequentemente destrói

Por Adriana Coutinho

Um grupo de moradores e veranistas do bairro do Massaguaçu, em Caraguatatuba, fizeram um protesto na manhã desse domingo de Carnaval (11), na rodovia Rio-Santos, para fazer um alerta em prol de segurança da população. Eles estão preocupados com quem se utiliza do deck, ciclovia e que entram no mar naquela área.

Segundo os organizadores, o movimento reuniu cerca de 100 pessoas com faixas e mensagens para alertar sobre os sérios riscos que os pedestres estão sujeitos ao caminhar pela passarela, que está prestes a desabar. Eles também apontam que a obra, realizada em 2016 para conter o avanço do mar está se degradando e vários pedaços de concreto estão no mar, podendo causar graves acidentes a banhistas desavisados.

“O risco de um banhista bater a cabeça em uma delas ao mergulhar é real e pode ser fatal” – diz Carlos Marcondes, 41, jornalista. “O grupo está indignado pelo descaso da atual gestão de Caraguatatuba em abandonar por completo a questão neste perímetro da praia. Novos protestos mais amplos já estão sendo organizados para o feriado da Páscoa” – enfatiza.

Julio César Wolkers, 64, gerente de banco recém aposentado e morador do bairro, aponta ações que vê como emergenciais. “A gente espera que a Prefeitura retire todas as pedras que foram tragadas pelo mar, quando a gente entra, topa com essas pedras. Isso traz risco de vida aos frequentadores. A única solução ali é um quebra mar para amortizar a força das ondas na época das grandes ressacas, de abril a agosto. Também queremos que replantem as árvores que foram retiradas”, aponta.

A assessoria de comunicação da Prefeitura enviou à redação uma nota oficial: “Atendendo a uma recomendação do Ministério Público Federal, para evitar riscos aos usuários a Prefeitura de Caraguatatuba interditou parte do deck construído na orla do bairro Massaguaçu, Região Norte da cidade. Construída sem o devido licenciamento ambiental e a um custo de mais de R$ 2,5 milhões, a obra foi questionada por técnicos, pois não se levou em conta os fenômenos naturais no trecho, ou seja, o empreendimento foi feito sem o devido preparo para suportar a força do mar. As Secretarias de Obras e Meio Ambiente de Caraguatatuba, em parceria com o Ministério Público Federal, estudam quais medidas devem tomar para não colocar em risco as pessoas que frequentam o local, além de ações para mitigar o problema dos fenômenos naturais que ocorrem com frequência na praia”.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.