Caraguatatuba Polícia

Queda no registro de furtos não traduz sentimento de insegurança nas ruas

Cláudio Gomes/PMC

Registros de furtos acontecem em praças centrais da cidade e deixam população fragilizada

 

Por Adriana Coutinho

Dados recentes da Polícia Militar apontam queda no registro de furtos de celulares na cidade. Porém, os números não traduzem a sensação de insegurança nas ruas de Caraguatatuba. Em 2016 foram registrados 287 furtos de celulares em Caraguá. Já este ano, fechando o mês de setembro, o número caiu para 229, tendo os locais com maior incidência, a orla marítima entre os bairros Martin de Sá, Centro e Indaiá. As ocorrências concentram-se também na região central, nas avenidas Miguel Varlez, Anchieta e também na rua Dr. Altino Arantes.

Nas conversas entre amigos, nas filas de supermercados ou bancos, o que mais se comenta são os furtos de celulares, fato considerado por alguns até como algo quase corriqueiro. As pessoas estão entretidas na maioria das vezes e têm sido furtadas à luz do dia nas praças, ruas e praias.

A professora Rita Brugnerotti, 64, teve seu aparelho roubado à luz do dia na Praça Dr. Diógenes Ribeiro de Lima e confessa sentir medo de andar nas ruas depois do ocorrido. Ela conta que foi tudo rápido, que não teve tempo de gritar ou ter alguma outra reação. “Foi dia 31 de outubro, às 13h30, eu estava próxima ao ponto de ônibus da Praça do Artesanato e peguei o celular para uma rápida ligação para meu filho, quando o assaltante chegou por trás com uma arma encostada nas minhas costas, tomou o celular da minha mão e saiu com uma bicicleta velha” – comenta Brugnerotti.

Segundo ela, além do nervoso que passou, lhe chamou a atenção a maneira como foi atendida ao registrar o boletim de ocorrência. “Quando fui à delegacia para fazer o B.O. fui tratada como se eu fosse a bandida. Cheguei a ouvir que teria perdido o celular e tinha ido para prestar queixa de assalto. Minha sorte é que havia um conhecido trabalhando lá, que me tratou de forma educada e respeitosa. Mas é triste tudo isso”, avalia a professora.

Já Karen, 20 anos, balconista, teve seu celular roubado em agosto, na volta do trabalho, no ponto de ônibus da mesma praça – Dr. Diógenes Ribeiro de Lima. “Foi horrível, era umas 20h30 e estava sozinha, chovia muito e aí chegou um garoto de uns 16 anos, de bicicleta e disse que era um assalto e vi que estava armado. Eu comecei a chorar e ele dizia que se eu gritasse ele ia me matar… dei a bolsa com celular e todo o meu salário – tinha recebido naquele dia”, comenta.  “Fiquei desesperada e com muito medo. Aí passou um casal que me emprestou o celular e liguei para minha família vir me buscar”, relembra.

Números de furtos de celulares caem após implantação da Atividade Delegada em Caraguá

Números oficiais – Os dados oficiais obtidos com o Comandante da 2ª Companhia do 20º Batalhão da Polícia Militar do Interior (20º BPMI/1) apontam uma redução de furtos devida à Atividade Delegada(AD), a atuação do policial em momento de folga, mas custeado pela Prefeitura Municipal. O 1º tenente PM Luiz Fernando Oliveira relaciona a queda de furtos de celulares após implantação da Atividade Delegada em Caraguatatuba.

“Ampliamos em 50% o efetivo com um total de 24 policiais, 16 deles em quatro viaturas em dois turnos, seis em bicicletas e dois a pé. Contamos também com o Programa Policiamento com Motocicletas (Rocam), com ênfase de ronda nas praias do Centro, Indaiá e Calçadão da Santa Cruz. Outra ação de aumento do contingente é a Operação Verão com início em 18 de dezembro, triplicando o efetivo do Litoral Norte. A segurança da cidade é um objetivo de todos e esse trabalho em conjunto tem mostrado resultados positivos”, comenta o 1º tenente.

De acordo com o comandante, alguns fatores norteiam a ação da Polícia Militar em seu trabalho, como a realização correta do Boletim de Ocorrência (B.O.) e fornecimento minucioso das informações. “As pessoas podem acionar a Polícia pelo 190, ir até a delegacia, ou preencher o boletim eletrônico no site www.policiamilitar.sp.gov.br. A importância para nós é que seja descrito com detalhes da ação, a rua e horário para que possamos ampliar o policiamento na região”.

O comandante ressalta que algumas medidas devem ser tomadas pelas pessoas que tiverem seus aparelhos furtados. “Comunicar às suas operadoras e ter em mãos o código de IMEI, uma espécie de RG do celular e através dele efetuar o bloqueio deste após o furto.  Para acessar seu código, digite *#06# e esse número deverá ser transmitido no momento de realizar o boletim de ocorrência”, frisa.

“As pessoas devem ficar mais atentas ao usarem seus celulares em ambientes e locais onde há aglomeração, não deixar seus aparelhos no bolso das calças, e ficar atento. As pessoas andam pelas ruas distraídas falando ao celular – é um alvo preferido dos ladrões. Por ser um equipamento caro, é importante também ter um seguro. Outra ação, é não adquirir aparelhos sem nota fiscal”, aconselha o tenente.


Desconstruir a insegurança – O prefeito de Caraguá, Aguilar Junior revelou que tem agendada uma reunião com a Polícia Militar no dia 23, para tentar mudar a estrutura da atividade delegada no município,  concentrando as ações nos períodos da tarde e noite. “Acredito que assim, conseguiremos melhorar ainda mais os índices”, diz ao ressaltar estar em constante diálogo com o 1º tenente, Luiz Fernando.

Contudo, o prefeito admite que os números registrados pela Polícia não traduz o sentimento nas ruas. “Eu penso em realizar um trabalho de desconstrução dessa insegurança”.  O que segundo Aguilar Junior, trata-se de uma marca de anos na cidade. “Isso foi incutido… essa insegurança na população. É um trabalho de aproximação. Trazer a população mais perto da Polícia Militar e do Poder Público municipal e desconstruir essa insegurança”.

O chefe do Poder Executivo acredita na eficiência também das câmeras de segurança. Segundo ele, há uma promessa do Estado para a implantação de três câmeras com o sistema de monitoramento OCR (Optical Character Recognition). Esse sistema analisa as placas e as cores dos veículos, além de detalhes, como adesivos, ajudando no monitoramento e rastreamento. As imagens são acompanhadas em tempo real, 24 horas por dia. “É a chamada barreira eletrônica. Já colocamos 16 câmeras de monitoramento esse ano – compreende mais o Centro da cidade. A expectativa é de mais de 40 câmeras para o próximo ano”, comenta o prefeito, que revela estar desenvolvendo no momento, estudos, junto com a PM, para escolher a melhor localização para a instalação das câmeras.

Outro objetivo revelado por Aguilar Jr. é formar o Centro Operacional Integrado (COI), para criar uma força-tarefa entre PM, o departamento de trânsito e o poder público.

Em outubro, o vice-prefeito e secretário de Segurança, Trânsito e Defesa Civil, Capitão Campos Júnior, fez uma visita a Guararema, para conhecer o Centro de Segurança Integrada (CSI) da Prefeitura local. Segundo as autoridades em Guararema, o CSI já demonstrou eficácia como ferramenta de combate à violência e ao crime contribuído muito na investigação e prevenção de crimes e acidentes, além de auxiliar em outras questões atuando de maneira integrada com as polícias, Bombeiro, Samu e Divisão de Trânsito.

Campos Júnior foi recebido pelo prefeito de Guararema, Adriano Leite (PR), e pelo secretário de Defesa Social, Edson Roberto Pinto de Moraes. Na ocasião, Campos Júnior considerou a visita como confirmação das estratégias que a Secretaria de Segurança está adotando. “O caminho certo é o investimento em ferramentas tecnológicas, que vêm sendo grandes aliadas na repressão e combate ao crime. Vamos acompanhar esse avanço na questão da segurança pública”, disse.

O Portal Tamoios News trouxe em março, orientações da Polícia Militar para que a população esteja prevenida quanto a furtos de celulares.

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.