Cidades Ubatuba

Clientes reclamam de serviços do Banco do Brasil

Foto: Raell Nunes/TN

Em nota, banco diz que há registros atípicos de demanda nos terminais de autoatendimento, mas já foi providenciada  a normalização do abastecimento de numerário


Por Raell Nunes

Os clientes da única agência do Banco do Brasil (BB) em Ubatuba estão reclamando dos serviços prestados. A situação incômoda está acontecendo desde que foi fechada outra unidade no Centro da cidade – seguindo as normas da reorganização administrativa, na qual fecharia 402 agências pelo país.

Conforme depoimentos, as filas nos caixas e para pagamentos de contas continuam grande, gerando atrasos e irritação de correntistas. Os idosos declararam que não têm um “atendimento de ensino”, ou seja, alguém instruindo a pessoa a fazer as operações bancárias – já que os mais velhos precisam de ajuda para lidar com a tecnologia.

Aposentado e com problemas de visão, Luís Carlos, 72 anos, precisa da ajuda dos funcionários para operar as máquinas. Ele contou que tem um ou dois que trabalham no atendimento inicial no banco, mas nem sempre cuidam somente dos oito caixas disponíveis na agência da rua Conceição.

“Nós mais velhos temos dificuldade com a tecnologia, fica difícil pros mais idosos igual eu. Preciso de ajuda, meus olhos estão ruins. A saúde aperta com o passar do tempo. Esses dias vim aqui [no banco] e um rapaz tava no horário de almoço e aí não vi mais ninguém.”

Os clientes também se queixam da dificuldade em pagar as contas atrasadas, que só podem ser quitadas em uma agência do BB. De acordo com relatos, desde que a unidade do Calçadão fechou, ficou mais complicado continuar sendo cliente do banco – uma vez que com as duas repartições já havia um conglomerado de pessoas que não eram atendidas de forma favorável.

“Já mudei de banco, mas meus pais ainda estão por aqui”, começou dizendo Aline Lima, 25 anos. “É horrível, uma falta de cuidado com as pessoas. Parece que eles não entendem que é o cliente que sustenta essa estrutura e o salário deles. Mas às vezes os funcionários não têm culpa, é ordem lá de cima. Sei bem como é isso”, conclui.

Registros atípicos – Em nota, a assessoria do BB informou que a gestão de numerário em caixas eletrônicos avalia fatores como segurança e estudos da rotina e hábitos de cada praça, a fim de assegurar tanto a disponibilidade dos valores e a conveniência nos caixas eletrônicos do banco, como a segurança de clientes e funcionários.

Segundo o esclarecimento cedido ao Tamoios News, em relação ao ocorrido na agência Ubatuba, há registros atípicos de demanda nos terminais de autoatendimento, mas o BB já providenciou a normalização do abastecimento de numerário.

“O Banco reestruturou sua rede de agências e, a partir da análise do potencial de negócios e do volume de transações bancárias de cada município, o BB avaliou se cabia a manutenção de uma agência ou a transformação em um posto de atendimento bancário. Onde for necessário será readequada a presença física, com acompanhamento da eficiência de cada ponto de atendimento”, enfatiza a nota.

A assessoria ainda disse que a revisão dos pontos de atendimento permite ao banco oferecer serviços e soluções mais adequadas a cada segmento.  Acrescenta dizendo que a migração dos clientes de unidades encerradas para outras agências privilegia a reorganização de sua base para unidades com o perfil adequado para cada público.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.