Meio Ambiente Ubatuba

Estado permite municipalização de área florestal com 48. 723,86m²

Foto: Raell Nunes/ TN

“A princípio será utilizada para esportes e também cultura. Mas é lógico que a área será de grande valia para toda região oeste”, avalia Sato

 


Por Raell Nunes

A área do Horto Florestal, localizada na região oeste de Ubatuba, que funcionava como uma unidade de pesquisa ambiental do Estado de São Paulo, agora tem permissão de uso por parte do município de Ubatuba.

Conforme o decreto n° 63.284, assinado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), a Fazenda do Estado permite o uso, a título precário, gratuito e por tempo indeterminado do imóvel ocupado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, situado na Rodovia Oswaldo Cruz (SP-125).

O terreno tem 48. 723,86m² e é cercado por mata atlântica. Ainda segundo o decreto, o local cedido destina-se à implantação do Centro Desportivo e Cultural de Ubatuba.

Nas palavras do prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), o processo relativo à área do Horto estava tramitando, mas praticamente parado. O chefe do Executivo revelou que recebeu ajuda de deputados e políticos mais próximos.

“Fomos à Secretaria da Agricultura, juntamente ao deputado Arnaldo Jardim (PPS), e também da Casa Civil, Samuel Moreira (PSDB), e governador. Conseguimos a permissão de uso para a Prefeitura de Ubatuba. A princípio será utilizada para esportes e também cultura. Mas é lógico que a área será de grande valia para toda região oeste”, diz Sato.

De acordo com o vereador Adão Pereira (PCdoB), para finalizar os trâmites, é preciso ainda formalizar alguns documentos pertinentes para que o desejo se torne realidade. Na opinião do parlamentar, com a municipalização da área, a cidade ganha um lugar para esportes e lazer.

“Aconteceu um processo que vinha rolando há mais de oito anos. É mais um trabalho que traz melhorias para a região oeste”, acredita o político.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.