Cidades Ubatuba

Santa Casa vai enfrentar CPI

Raell Nunes/TN


Por Raell Nunes

A Santa Casa de Ubatuba vai enfrentar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) movida pela Câmara Municipal. A ação tem a intenção de investigar possíveis irregularidades administrativas e tudo aquilo que abrange o manejo do dinheiro público.

O presidente da CPI será o vereador Pastor Claudinei (PSDB), o relator será Junior (PTN) e o membro Manuel Marques (PT). A apuração tem um prazo de 90 dias para terminar, sendo que pode ser prorrogada por igual período. Os custos previstos para as atividades são de R$ 50 mil.

Em nota exclusiva ao Tamoios News, a Santa Casa declara que não tomou ciência da CPI e nem de seu teor, mas estão à disposição para esclarecer as dúvidas que persistem e auxiliar da melhor forma possível.

Adiante, a provedoria do único hospital da cidade afirma que “sempre primou em transparecer seus trabalhos, tais quais: portal da transparência e prestação de contas aberta ao público na Câmara dos Vereadores, fatos inéditos na instituição”.

Conforme relatos dos legisladores, a entidade vem sofrendo investigações devido ao uso irregular do capital público. A conjuntura, todavia, faz com que os medicamentos não cheguem à população. Houve denúncias da falta até mesmo de algodão.

Se defendendo das acusações, a administração do hospital comunicou que houve uma complicação na entrega de medicamentos que, ao invés de ter ocorrido no dia 30 de setembro de 2017, aconteceu quase 72h depois.

Ainda segundo a casa de saúde, alguns itens de fato acabaram não suportando a longa ausência sem reposição, porém, não houve falta de medicamentos – havia um controle em estoque, tanto é que nenhum procedimento hospitalar foi interrompido.

De acordo com o relator da CPI, Junior explicou que vai apurar, pois é inadmissível irregularidades na administração e nas eleições de provedoria. Levar ao público a atual situação financeira da entidade, levantar as ilicitudes e punir os envolvidos são algumas das metas do legislador.

“Recebi informações que estão faltando coisas básicas lá. Algodão, soro, medicamentos de uso do dia a dia. E a cada dia está ficando pior”, disse. O vereador ainda falou que será investigado uma espécie de “tráfico de influência”, na qual se beneficiou financeiramente o irmão do atual provedor.

Questionada de como vai se preparar para a CPI, a Santa Casa relata que vai tratar a situação com naturalidade.  “Importante frisar que os esclarecimentos são úteis para a população em geral, visto que, menos da metade do total de munícipes não possuem conhecimento amplo sobre a Santa Casa ser gerida por provedores eleitos por associados”.

Contudo, a Santa Casa irá aguardar a publicidade da ação do Legislativo para uma nova manifestação. “Então certas coisas devem ser esclarecidas e isso será importante. Mas apenas com o comunicado da CPI poderemos saber o exato teor do que será debatido”.

Deixe um Comentário