Esportes Ubatuba

Suelen Naraísa: os dias ruins de uma vencedora

Surfista profissional conta sua história de superação do câncer e e como isso influenciou sua vida

 

Por Valéria Andrade

Antes mesmo de ser a Suelen Naraísa representante do surfe feminino no Brasil, bicampeã paulista, bicampeã brasileira profissional, terceira colocada no ISA Games 2013 e de ter uma escola de surfe que leva o seu próprio nome. Ela, Suelen,  “dropou” uma onda que deixou-a entre a vida e a morte: o câncer.

A menina que cresceu na praia da Itamambuca, era uma criança superativa, praticava balé, natação, e claro, já dava seus primeiros passos no surfe incentivada pelo irmão mais velho aos oito anos. Dois anos depois, nas férias escolares, passou a sentir  fortes dores nos rins.

“A gente foi procurar saber o que é que era, porque eram dores muito fortes e aí passei por sete médicos, todos disseram que eram vermes”, conta.

Mesmo passando pelo tratamento de vermes, os resultados não eram positivos, mas um médico tinha a resposta que mudaria a história da vida de Suelen e de sua família.

“O doutor falou para a minha mãe, pediu para que eu saísse da sala e falou que era uma doença gravíssima e que ela tinha que correr”.

A jornada para o tratamento do câncer estava apenas começando, quando com a ajuda de amigos, ficou internada no Hospital Escola de Taubaté durante 14 dias. O hospital não tinha condições de mantê-la lá, pois não contava com um pediatra oncologista, até que conseguiram transferi-la para o AC Camargo Cancer Center em São Paulo.

“Lá eu comecei a minha caminhada para a cura do câncer, passei três anos internada fazendo quimioterapia e radioterapia. Um ano depois da descoberta, eu fiz uma operação para extrair o rim esquerdo e continuei com o tratamento”, relembra.

Nesse tempo que passou no hospital, ela só pensava em retornar para a sua vida normal de uma menina de 10 anos. Suelen conta  que queria voltar surfar, brincar nas areias da Itamambuca, mas não dava por causa da debilidade que o tratamento causava.

É nesse momento da vida dela que surge uma palavrinha nova de apenas duas letras que passria a ditar sobre a sua existência a partir daquele momento: fé. Palavra essa que ela leva junto para todo canto e fala incontáveis vezes durante a entrevista, e também, para qualquer um que precise de um incentivo.

“Eu nunca perdi a fé em Deus, eu sabia que eu ia me curar  e em momento algum pensei que ia morrer”,

Três anos depois, Suelen Naraísa voltou a competir no Circuito Municipal Ubatuba, depois Circuito Paulista de Surfe,  e abriu portas para que ela se tornasse quem é. Em meio a tantas vitórias (e poucas derrotas), ela leva lições da época em que passou de uma criança tímida à uma vencedora.

“Isso me trouxe muita coisa diferente, passei a ver as coisas diferentes, saber que Deus sempre estaria do meu lado. Isso me trouxe um crescimento pessoal e espiritual, mesmo sendo muito nova”, diz.

 

Deixe um Comentário