Saúde Ubatuba

Ubatuba já registrou 3 mortes por febre amarela este ano

Foto: Raell Nunes/ TN

 

Nos primeiros sete meses, cidade teve 102 notificações de dengue, com 11 casos confirmados; 11 casos suspeitos de chikungunya; e, 4 casos suspeitos de zika

 

Por Salim Burihan

A Vigilância em Saúde de Ubatuba caracteriza como “preocupante” a situação da Febre Amarela no município, devido à baixa imunização da população. Apenas 76% dos moradores tomou a vacina. A doença já causou três mortes na cidade.

A evolução de casos de dengue também preocupa. O município tem 12.709 prováveis criadouros do mosquito transmissor da dengue. Já ocorreram 102 notificações de dengue, desde o início do ano.

Arboviroses

Com relação a febre amarela, o município registrou, desde o inicio do ano, 30 notificações da doença, com dez casos confirmados e três mortes. Quatro exames ainda aguardam o resultado.

“São ainda 20 mil pessoas que se encontram desprotegidas contra o vírus da febre amarela. Com a chegada do calor e das chuvas, isso significa que teremos mais casos da doença. E em Ubatuba ela tem se mostrado de alta letalidade”, explica Patricia Machado, supervisora da Vigilância em Saúde.

O balanço dos casos de arboviroses(dengue, zika, chikungunya e febre amarela) foi apresentado ontem, durante uma reunião coordenada pela Vigilância em Saúde no município.

A Secretaria de Saúde local pretende agilizar e intensificar as ações para conter o avanço dessas doenças no município.

Segundo o último boletim epidemiológico, há um total de 102 casos notificados de dengue na cidade, dos quais 11 foram confirmados laboratorialmente, 34 descartados laboratorialmente, 55 descartados pela análise clínico-epidemiológica e dois aguardam resultado.

A região que apresenta mais casos de dengue é a Central, com sete casos, seguida da região Norte, com quatro confirmados.

Em relação ao chikungunya, há um total de 11 casos suspeitos, dos quais seis já foram descartados.

Já para zika, foram quatro casos suspeitos registrados, dos quais dois foram descartados laboratorialmente e outros dois aguardam resultado.

Conscientização 

Reforçar a conscientização da população sobre a importância de vacinar-se e combater os criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela, foram apontadas como ações prioritárias pelos participantes da reunião.

Criadouros

Segundo relatório mais recente de avaliação de densidade larvária (ADL), o município hoje apresenta índice de 0,8 devido ao tempo frio e seco. Porém, o que chama mais a atenção é a existência de 12.709 prováveis criadouros contaminados por ovos do mosquito, encontrados em 665 imóveis visitados pelos agentes de controle de endemias.

Os criadouros são de todos os tipos, como latas, bebedouros de água de animais, reservatórios da geladeira, calhas, pratos de vasos, entre outros.

Entre as sugestões apresentadas, está a de realizar um trabalho educativo com alunos das escolas públicas municipais e estaduais, equipes de saúde da família e equipes da Santa Casa, afixar cartazes e veicular informações em pontos de grande movimento como salas de espera, terminal rodoviário, setor de atendimento ao munícipe (Fácil), além de incluir barraca de orientação e distribuição de material informativo nas ações do “Prefeitura Bairro a Bairro”.

 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.