São Sebastião Saúde

Pacientes ficam expostos ao sol e chuva enquanto aguardam quimioterapia

fotos: Ivânio de Abreu-TN/ Pacientes que não conseguem espaço dentro do ambulatório aguardam expostos ao sol

Por Ivânio de Abreu

O ambulatório de quimioterapia, que presta serviços no Hospital das Clínicas de São Sebastião (HCSS), está sendo alvo de críticas devido à falta de espaço para acomodar pacientes e acompanhantes. O local com capacidade para 15 pessoas  na sala de recepção recebe toda a quinta-feira, cerca de 40 pacientes realizando consulta, e mais 27 que passam pelo processo de quimioterapia.

Além de São Sebastião, o local também recebe moradores de Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba. Em média são atendidos 67 pacientes, sem contabilizar os acompanhantes. Os dados foram apresentados e formalizados no Legislativo sebastianense. O vereador Maurício Bardusco (PMDB) apresentou requerimento endereçado ao Poder Executivo, em que solicita uma possível ampliação e adequação do ambulatório de quimioterapia do HCSS.

Com isso, os que não têm a sorte de conseguirem uma cadeira dentro do ambulatório tentam se ajeitar em banquinhos ou em lugares que possam se proteger do sol, ou até mesmo da chuva. Este é o caso da cabeleireira Elaine Ferreira, 26 anos. Moradora de Ubatuba que a cada 21 dias precisa acompanhar a mãe Maria Aparecida, de 45 anos, que passa pelo processo de quimioterapia. As duas saem de casa por volta das 5h30 da manhã, e levam em média 1h30 para chegarem a São Sebastião. “Isso andando rápido”, diz a cabeleireira sorrindo.

“Falta melhoria para acomodar as pessoas, poderia ter uma cobertura para não precisarmos ficar no tempo. Principalmente quando faz quimioterapia, a pele fica manchada quando exposta ao sol”, lamenta Elaine.

“A maioria fica ali dentro (se referindo à recepção que estava cheia no dia em que a reportagem esteve no ambulatório). O restante fica aqui fora, essa parte que fica, acaba tomando sol. E se chover?”, questiona.

Pacientes e acompanhantes durante espera por atendimento

Segundo Maria Aparecida, “o que seria bom, é ter pelo menos uma cobertura, para não ter que ficar no sol”. Enquanto falava, Maria procurava uma sombra, pois, o sol já estava forte durante a entrevista, e sentada no chão conseguiu se proteger por algum momento.

De acordo com a auxiliar de enfermagem Josina Caldeira Costa, aposentada ,71 anos, de Caraguatatuba, o problema é a acomodação que tem deixado a desejar.  Para a aposentada que acompanha a amiga Lucia Siqueira Alves de Paulo, 51 anos, é algo inadmissível. “O paciente fica aqui fora sentado, nesse banco duro, no sol,vento, garoa, chuva. Para o acompanhante não tem problema, mas para a pessoa que passa por quimioterapia tinha que ter algo melhor”.

“Eu conheço o hospital de oncologia de Piracicaba, e a estrutura lá é maravilhosa. O paciente chega lá tem poltronas reclináveis, sala climatizada. Aqui infelizmente é essa situação” lamenta Josina.

Por nota, a Prefeitura de São Sebastião diz que já iniciou seu projeto de recuperação de todo complexo hospitalar do HCSS. Já tendo reformado e melhorado espaços como salas de atendimento, centro cirúrgico (em andamento), cozinha, quartos e ambulatórios. Em razão de todo o complexo estar passando por manutenção e reformas a previsão é de que no início do próximo ano o espaço dedicado à quimioterapia seja reformado.

Segundo o Governo Municipal, o atendimento ambulatorial recebe semanalmente 12 pessoas (4 vagas de Caraguá, 2 de Ilhabela, 3 de Ubatuba e 3 de São Sebastião). Todas as adequações previstas de melhorias no hospital serão executadas pela atual Administração, inclusive a recepção de visitas que será ampliada, proporcionando assim mais conforto aos acompanhantes de pacientes.

 

1 Comentário

  • SUGIRO que todos USUÁRIOS DO SUS, cobrem dos membros do COMUSS de sua Cidade, para que tomem às devidas providências, frente a este Conselho Municipal Deliberativo!!!…

    Aqui em São Sebastião-SP Litoral Norte Paulista, AFIRMO que estamos tentando há anos!!!…

Deixe um Comentário