Anistia São Sebastião

Munícipes enfrentam dificuldades para conseguirem desconto no IPTU

Os munícipes interessados em participar da Regularização Fiscal da prefeitura de São Sebastião que prevê o desconto de até 100% no valor dos juros e multas estão enfrentando uma série de dificuldades. Muitos contribuintes deixaram para aproveitar a anistia na última hora. Eles alegam que o atendimento tem sido muito demorado e desorganizado. A Prefeituras não confirmou se estenderá o prazo, que termina dia 10.

Margarida Batista, de 59 anos, moradora do bairro Enseada, chegou às 8 horas da manhã no local do parcelamento, no centro da cidade. “Peguei a senha 343. Vi a propaganda da prefeitura e resolvi pagar meu débito com IPTU e ITBI. Não almocei porque fiquei com receio de perder minha senha. Corri aqui do lado e comi um salgado. Não sei que horas vou sair daqui hoje, isso porque cheguei cedo. Não tem funcionários suficientes. Somente uma pessoa atendendo e saiu para almoçar e demorou muito para voltar. Tem momentos que não fica ninguém na sala”, contou.

Margarida Batista teve que aguardar muitas horas para ser atendida

O aposentado A.C.M, de 82 anos, que preferiu não se identificar, estava muito nervoso. “Moro em São Paulo e tenho propriedades aqui no município. Minha filha tentou resolver na semana passada a questão do parcelamento e não conseguiu. Ela esteve aqui ontem e não tinha sistema. Sai de São Paulo hoje às 4h30 da manhã e cheguei aqui às 9h30. Já são 14h40 e não fui chamado. Tem apenas uma pessoa para atender todo mundo. Um absurdo”, desabafa.

Roseli Santaella, de 81 anos, também esteve no local várias vezes. “Moro no Arrastão. Sou preferencial, mas cheguei aqui às 10h e não fui chamada ainda. Não almocei e nem sei que horas sairei daqui. Está tudo mal organizado. Esse local não é apropriado. A cidade tem outros locais. Temos a tenda da praia, onde poderiam ter instalado uma infraestrutura e atender os munícipes. Aqui é muito abafado e temos uma epidemia de sarampo no país”, alerta.

Roseli Santaella, de 81 anos, cobrou mais organização e atendentes

Luzia Prado conseguiu passar pela primeira fase do atendimento. “Primeiro pegamos a senha e depois de aguardar quase todo o dia, ainda temos que esperar para sermos chamados para verificarmos as custas judiciais. O atendimento aqui está péssimo. Não existe preferencial, embora estão dizendo que há, mas na prática não tem. Uma cidade como São Sebastião deveria ter programado esse parcelamento em três locais, Centro, Costa Norte e Costa Sul”, sugere Luzia.

Luzia Prado reclamou do atendimento

Um outro cidadão que preferiu não se identificar, M.C.O, de 50 anos, mora em São Paulo e veio até São Sebastião, para quitar seus débitos. “Ontem dispensaram todo mundo às 16h porque estava sem sistema. Fui obrigado a dormir em um hotel, porque não compensava eu voltar para São Paulo. Cheguei aqui hoje às 7h30 da manhã e somente agora, quase 15 horas, que passei pelo primeiro atendimento, que é o levantamento da dívida. Estou aguardando o segundo atendimento, das custas judiciais. Depois vou pegar um papel para pagar no banco, o que será feito somente amanhã, pois hoje não dá mais tempo. Depois terei que voltar aqui e pegar senha novamente para passar pelas
custas pagas. Enfim. Não tenho ideia de quando vou conseguir resolver tudo isso. Por que não fizeram de uma forma que já resolvesse tudo no primeiro atendimento? Parece que estão querendo dificultar”, revolta-se.

Prefeitura

Prefeitura alega que movimento tem sido grande nos últimos dias

A Secretaria Municipal da Fazenda informou que o local para o atendimento do parcelamento das dívidas municipais foi escolhido por ser um imóvel da prefeitura de fácil acesso, ter acessibilidade. Devido ao término do prazo e a quantidade de munícipes que procuraram o serviço, o atendimento está acima do normal, o que ocasionou a demora no atendimento. Sobre eventual prorrogação isso será definido até o último prazo, estipulado para o dia 10, próxima quinta-feira.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: