Bronca de Moradores Maresias

Maresias convive com som abusivo na praia, na praça, ruas e casas noturnas

Maresias, a mais badalada da região

A Praia de Maresias, na costa sul de São Sebastião, é a praia mais famosa do Litoral Paulista, no Brasil e no Exterior. Maresias, também conhecida por seu morador mais ilustre, o bicampeão mundial de surfe, Gabriel Medina. A praia, no entanto, tem vivido problemas graves na temporada, entre eles, o excesso de barulho. A Somar e a APHM BR pedem mais fiscalização.

Por Salim Burihan

Maresias é um dos locais mais procurados pelos paulistas e paulistanos nos fins de semana, para pegar uma praia, surfar ou curtir as baladas de suas casas noturnas, entre elas, o Sirena e o Parador.

Na temporada de verão, Maresias enfrenta muitos problemas, os mesmos registrados nas demais praias mais frequentadas da região: trânsito infernal, falta de estacionamento, excesso de ambulantes, poluição do mar e por aí afora.Um problema, no entanto, tem prejudicado moradores, veranistas, turistas e, principalmente, os hotéis e pousadas: o excesso de barulho, que vara a madrugada.

São inúmeras as reclamações. Segundo a APHM BR(Associação de Pousadas e Hotéis de Maresias) o barulho infernal tem provocado o cancelamento de reservas na rede hoteleira. A SOMAR(Associação Amigos da Praia de Maresias) também se manifestou sobre o assunto.

Conseguimos acesso a uma mensagem encaminhada por um das dezenas de turistas que cancelaram a reserva por causa do som excessivo.  “É impossível dormir nessa pousada. O quarto e a pousada são bons, assim como o atendimento dos funcionários, mas nada disso adianta se não é possível dormir. Há um som extremamente alto do lado da rua e a pousada não oferece janelas acústicas e nem qualquer tipo de isolamento. Os vidros do quarto chegam a tremer, tamanho é o barulho. Esse barulho vai da meia noite até mais de 8 horas da manhã”.

Somar

Segundo o presidente da Somar, Eliseu Pires Arantes, as reclamações sobre o barulho não se limitam apenas as casas  noturnas, mas também, sobre as caixas de som na praia e nas praças. “Em Maresias pode tudo pela falta de fiscalização do poder público”, comentou.

Segundo ele, existe lei para impedir todos os problemas, mas não existe fiscalização. “Estamos desprovidos de fiscalização nas praias, nas praças e nas casas noturnas. Maresias virou terra de ninguém, onde tudo pode, infelizmente”, disse.

Arantes informou que, a Praça Internacional de Surfe de Maresias, por exemplo, um dos cartões postais da praia, está uma baderna só. “Na praça, existem 14 vagas de estacionamento, uma delas para pessoas com deficiência, que infelizmente, vem sendo ocupada por um food truck, um absurdo”, disse.

O presidente da Somar, que vive há 38 anos em Maresias, disse que o atual prefeito Felipe Augusto, herdou problemas antigos, e que, em seus dois primeiros anos, nada mudou. “O remédio é amargo, mas é preciso intensificar a fiscalização na praia, antes que seja tarde demais”, alertou.

Arantes comentou que para solucionar todos os problemas existentes em Maresias é preciso uma fiscalização mais atuante e rígida por parte da prefeitura e da polícia militar.

APHM BR

A APHM BR – Associação de Pousadas, Hotéis  Bares e Restaurantes de Maresias emitiu nota oficial para  registrar seu repúdio ao descaso que as autoridades vem tratando o bairro, em especial a situação da rua Sebastião Romão César.

Segundo a APHM BR , concentrando grande parte dos bares, restaurantes, hotéis e pousadas do bairro, a rua, que concentra a esmagadora maioria do comércio noturno e recebe um fluxo de milhares de pessoas por noite, digno de eventos de grande porte, não recebe policiamento, fiscalização ou controle de tráfego, deixando o local à mercê de delinquentes, uso abusivo de volume e caixas de som e trânsito completamente interrompido ao longo das noites, se arrastando a situação de caos completo até alta madrugada.

A associação informou que a situação do local foi levado ao conhecimento das autoridades locais, em reunião dos comerciantes da rua com o Prefeito Felipe Augusto, acompanhado de secretários e guarda civil. Na ocasião, promessas como presença do DETRAF, Base Móvel da PM e ações noturna de fiscalização foram feitas. Porém, segundo a APHM BR, nenhuma das promessas se concretizou.

Segundo a associação, uma ampla ação de fiscalização foi realizada no bairro, porém a via, necessita de atuação durante a noite, quando os abusos de comerciantes, casas noturnas e ambulantes ocorre.  A associação relatou ainda que, viaturas fazendo ronda uma ou duas vezes por noite não trazem soluções efetivas, uma vez que os abusos cessam apenas ao passar dos carros, retornando assim que os veículos saem da vista do público. A Associação quer a instalação de uma base da PM no local ou um policiamento mais fixo com controle de tráfego noturno.

A APHM BR encaminhou vídeos para mostrar a baderna que acontece no local, que além de  aumentar a sensação de impunidade dos delinquentes, coloca em risco os frequentadores do bairro. O barulho provocado por volumes de altíssimos de som praticado pelos automóveis e ambulantes prejudica moradores, veranistas e turistas.

A associação solicita novamente que os órgãos públicos olhem para tal situação, garantindo a segurança dos moradores e turistas de Maresias, cumprindo com o prometido na reunião do início de dezembro que contou com a participação do prefeito e de seus secretários.

Prefeitura

Questionada sobre as reclamações feitas pela Somar e APHM BR, a Prefeitura de São Sebastião esclareceu que, desde o início do verão, está com uma força tarefa de fiscalizações atuando em toda a cidade. A ação integrada entre secretarias municipais, Polícia Militar e Guarda Civil Municipal vem atendendo a todos os bairros.

Em Maresias, por exemplo, fiscais já atuaram em estabelecimentos comerciais, nas areias da praia com os ambulantes e, inclusive, na questão do som excessivo que tem gerado reclamações. Além disso, o Procon esteve no último dia 11 em um ônibus na Praça do Surfe prestando atendimento e orientação aos consumidores, além de fiscalizar os comerciantes.

De acordo com o órgão, na ocasião foram realizados 25 atendimentos no ônibus e seis fiscalizações em mercados e restaurantes, nas quais um mercado foi autuado por manter produtos vencidos nas prateleiras, outros sem preço e sem informações sobre glúten; e três restaurantes, dois por cobrança indevida e um por conter produtos sem informações de preço.

É importante frisar que, graças a parceria entre Prefeitura e Polícia Militar às operações de fiscalização tem sido constantes e atuantes tanto em atividades diurnas como noturnas.

 

3 Comentários

  • Realmente esta cada vez pior a situacao do som alto na praia,casas noturnas e nas ruas de Maresias. Nao existe nenhum orgao do Municipio para reclamar e que seja eficaz e eficiente para ate atender as reclamacoes. isto e pessimo para a cidade pois este tipo de gente sem educacao nao gera recursos para o municipio, pelo contrario,so baixa o valor do turismo….quem perde somos nos os educados e os trabalhadores do municipio. Maresias esta se tornando um pessimo exemplo de cidade e pessimo local para levar sua familia nas ferias ou qualquer dia….pois todos os dias tudo secrepete. nao ha dirigentes publicos de respeito para atuarem nisto.

  • vale lembrar que o problema todo não é só a falta de fiscalização, e a famosa educação? Existem praias pelo planeta todo, bem como em muitas não existe tanta fiscalização pq as pessoas tem senso. O mesmo que reclama do barulho joga cigarro no chão, fura filas….o brasileiro como um todo, com pouquíssimas exceções, não sabe se portar em público. A “onda” da vez é ser o mais rebelde possível, atrai as “novinhas” e gera “moral” com o grupo….patético!

  • Pelo que lí sobre Maresias, alguém está mentindo, pois há reclamações diversas, inclusive com vídeos mostrando o descaso e o transtorno do local, ao mesmo tempo, vem a Prefeitura de São Sebastião afirmando que está dando todo o suporte que tem sim fiscalização etc e tal. Quem fala a Verdade?

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: