Educação Ubatuba

Ubatuba: Professores lançam nesta terça(11) movimento em defesa da Educação

Professores da rede municipal de ensino de Ubatuba lançam oficialmente, nesta terça(11), às 19 horas, na Câmara Municipal, o movimento “Sim, Educação de Qualidade”.

O movimento, que conta com a participação de 259 dos 557 professores da rede municipal, cobra da prefeitura: a valorização da categoria, creche integral, melhores salários, construções de novas salas de aula e cumprimento do Plano Decenal.

O movimento, segundo os professores, conta com o apoio do Sindtapu(Sindicato dos Trabalhadores de Ubatuba). Os professores avaliam ainda uma ação contra a prefeitura cobrando reposição salarial e outros direitos.

Prefeitura

Na semana passada, a prefeitura emitiu nota oficial rebatendo as denúncias e reivindicações da categoria.

Segundo a nota, em nenhum momento da gestão houve perda ou redução salarial de nenhum cargo efetivo, especialmente, dos professores, o que violaria os direitos estatutários adquiridos. Qualquer alteração salarial deve ser efetivada por Lei Específica.

Com relação à mudança da carga de horas/aula, a prefeitura informou que houve uma redução de 25, e não 35 horas/aula, sendo que essas horas são de caráter complementar – fato que todos os professores sempre tiveram ciência.

A prefeitura justificou ainda que mais de 250 professores de toda a rede tiveram sua carga de hora/aula aumentada de 155 para 165, o que confere a valorização de toda a rede, bem como atende uma distribuição mais igualitária.
A redução não significa que haverá prejuízo na qualidade da alfabetização, até porque, as formações dos professores terão continuidade e a rede como um todo fortalece o processo de letramento. Todas essas mudanças estão dentro do contexto previsto na BMCC – Base Nacional Comum Curricular.

Com relação às creches, foi informado que em todo o município, até o momento, a demanda reprimida das creches será apenas de 99 crianças sendo que, na região Oeste, a fila será zerada. Este ano, essa demanda foi de 626 alunos.
As unidades em que as classes de maternal II estão previstas para funcionar em período parcial vão ter mais vagas não só para esta classe, mas para as demais (berçário I e II e maternal I)

As unidades com período parcial terão professor responsável pela parte pedagógica no período da tarde, além de mais um agente educacional por classe e, ainda, a cada sete crianças. Além dos agentes educacionais, no período da manhã, continuará um professor por classe.
A rotina das crianças será melhorada, com adaptação no horário de almoço adequado e atividades lúdicas na parte da tarde.

A prefeitura alegou ainda que não há nenhuma sala sendo fechada, muito menos que os professores não terão onde trabalhar. Muitos deles têm a possibilidade de permanecer, sim, em suas sedes, atuando em outras etapas do ensino. Além do que, a secretaria está realizando largo e democrático trabalho de atribuição de sedes e salas para todos os professores da rede, conforme a legislação e ordens internas, que são de conhecimento de todos os profissionais – sejam novos ou os mais antigos. É necessário levar em consideração a classificação dos professores na lista de atribuição.

 

 

1 Comentário

  • Se não for apenas mais um meio de arrecadação ótimo. Infelizmente só se cobra impostos, taxas, contribuições e o retorno nada. Faz 20 anos que pago IPTU e não há qqr melhoria. Não há calçamento na rua, nem sequer é passado máquina para deixá-la transitável, não tem esgoto, temos que fazer o tratamento por conta do condomínio, se não tivéssemos poço artesiano faltaria água. Pra ir na praia tem que pagar zona azul, sem benfeitoria tbm. Muito triste. Vamos acreditar que esse no recurso terá o fim a que se propõe, não é?

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.