Caraguatatuba Cidades

MP denuncia Felipe Thiago por homicídio qualificado, por motivo fútil e ocultação de cadáver. Conheça detalhes do crime que abalou Caraguá:

O promotor de justiça, Renato Queiroz de Lima, denunciou Felipe Thiago, de 31 anos,  pela morte brutal de Cristina Coelho Soares, de 32 anos, em 16 de novembro, em Caraguatatuba. Consta, nos autos, que Felipe após matar Cristina por asfixia e jogar o corpo em um córrego, limpou o quarto e foi para a praia para aproveitar o feriado

Por Salim Burihan

O Ministério Público do Estado de São Paulo, por meio do Promotor de Justiça, Renato Queiroz de Lima, ofereceu denúncia contra Felipe Thiago Fetrh dos Santos, que no dia 15 de novembro no ano passado matou Cristina Coelho Soares, em Caraguatatuba.

Felipe foi denunciado por homicídio qualificado pelo motivo fútil, pela asfixia e pela impossibilidade de resistência da vítima em concurso material com ocultação de cadáver. O crime abalou a cidade de Caraguatatuba, Cristina era filha de um conceituado médico veterinário da cidade.

A denúncia foi protocolada no dia 27 de janeiro, pelo promotor de justiça, Renato Queiroz de Lima, foi aceita pelo juiz Júlio da Silva Branchini, na última terça-feira, dia 4 de fevereiro.  A Justiça concedeu dez dias para o acusado apresentar sua defesa.

Crime

Cristina não teve chances de se defender

Segundo apurou o promotor Renato Queiroz de Lima, o acusado Felipe Thiago Fetrh dos Santos é pessoa conhecida dos meios policiais, tendo passagens pela prática dos crimes de furto, tráfico de drogas, violação de domicílio e estupro. A Folha de Antecedentes Criminais do acusado contém com 14 (quatorze) páginas.

O  crime teria ocorrido entre a noite do dia 15 e a madrugada do dia 16 de novembro. Segunda a denúncia feita pelo promotor, Felipe participava de um churrasco quando conheceu a vítima, Cristina Coelho Novaes.

Os dois teriam usado drogas durante o churrasco. Felipe convidou Cristina para ira até a sua casa, no bairro do Poiares.  Na casa de Felipe, após uma mera discussão, ele teria colocado  suas mãos no pescoço da vítima e a asfixiou.

Vídeo mostra quando o casal chega na casa de Felipe:

A esganadura praticada pelo acusado foi a causa efetiva da morte da vítima, conforme o laudo pericial. Após matar Cristina, Felipe,  agindo com manifesta frieza, ao lado do corpo já sem vida da ofendida, foi dormir.

Segundo informações colhidas pelo MP, no final da tarde do dia 16 de novembro de 2019, o acusado amarrou o corpo da vítima com um pano entre o pescoço e os pés e o colocou dentro de um saco plástico.

Vídeo mostra Felipe levando corpo de Cristina num carrinho de supermercado para jogar num córrego:

Felipe pegou o corpo de Cristina e o colocou em um carrinho de supermercado, transportando-o até uma valeta próximo à sua casa, local onde arremessou o corpo da vítima,  com o intuito de ocultar seu cadáver. Felipe teria retornado para casa e limpou seu quarto, local onde tinha matado Cristina.

Ainda agindo com total frieza, Felipe  foi à praia. O corpo de Cristina foi encontrado no final da tarde de domingo, dia 17 de novembro, por uma pessoa num córrego, também, no bairro do Poiares e poucos metros da casa do assassino.

Segundo o relato do promotor Renato Queiroz de Lima, após suspeitar que a polícia iria lhe procurar, Felipe  fugiu para a casa de seu irmão e em seguida, para a cidade de Paraty(RJ), onde foi localizado e preso no dia 15 de dezembro e removido até Caraguatatuba, onde atualmente encontra-se preso no CDP(Centro de Detenção Provisória) da cidade, aguardando julgamento.

Felipe durante sua chegada em Caraguá, em dezembro passado,após ser localizado e preso em Paraty. Foto: Repórter Online

De acordo com o promotor, Felipe praticou o crime por motivo fútil, decorrente de uma mera discussão que teve com a vítima em sua casa. O crime foi cometido com emprego de asfixia, conforme laudo pericial. Para o promotor, conforme mostram os laudos, dificultou a defesa da vítima, pois o acusado, para conseguir cometer o crime, se aproveitou do fato da vítima ter feito consumo excessivo de drogas, o que a deixou totalmente incapaz de se defender.

error: Alerta: Conteúdo protegido!