Cidades São Sebastião

Prefeitura vai pagar R$ 3,1 milhões por monumento em homenagem ao padroeiro

Empresa faz avaliações no local onde estátua será instalada

O Prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, contratou a empresa Pinna & Pinna Ltda, por R$ 3,1 milhões, para construção de um monumento dedicado ao padroeiro do município.

A contratação da empresa e do artista Gilmar Pinna foi feita no dia 2 deste mês através de inexibilidade de licitação(dispensa de licitação).

Solicitamos informações à prefeitura sobre o processo de contratação da empresa e do projeto que deverá ser executado, mas até o fechamento da matéria não houve respostas por parte da sua assessoria de imprensa.

Segundo informações extraoficiais, a prefeitura pretende construir um monumento de cerca de 30 metros no Morro do Araçá, no Topovaradouro, no local onde existia o antigo Forte do Araçá.

No ano passado, uma empresa contratada pela prefeitura fez avaliações no alto do morro, local onde deverá ser instalado o monumento, que deverá construído em metal, especialidade do escultor Gilmar Pinna.

O monumento, além de homenagear o padroeiro da cidade, também, dará início ao projeto de turismo religioso no município.

A construção do monumento divide opiniões no Varadouro. Uns são contra por entenderem que o dinheiro gasto pela prefeitura deveria ser investido em obras de infraestrutura ou de combate as enchentes.

Outros, principalmente, os comerciantes estabelecidos nas proximidades, acreditam que o monumento deverá atrair muitos turistas e isso deverá aumentar o faturamento.

Nas redes sociais, moradores do bairro iniciaram uma petição contra a construção. Eles argumentam, entre outras coisas, que o bairro é carente de infraestrutura.

Pinna

Gilmar Pinna é um artista de Ilhabela que mantém sua oficina na cidade de Guarulhos. O escultor tem obras em várias cidades do país e é reconhecido internacionalmente.

Em outubro do ano passado, a Justiça impediu a construção de uma estátua de Nossa Senhora e determinou a retirada de cinco monumentos dedicados à Padroeira, confeccionados por Pinna, na cidade de Aparecida.

Peças ainda aguardam decisão judicial em Aparecida

O pedido foi feito por uma associação de ateus, que alegou que foi empenhada verba pública para promoção da fé católica, o que fere o estado laico. A prefeitura recorre da decisão.

A decisão da juíza Luciene Bela Ferreira Allemand incluiu a construção de uma imagem da Santa – que está atualmente parada e com as peças amontoadas às margens da Dutra – e a remoção de peças em homenagem à Padroeira instaladas em cinco pontos da cidade. Os monumentos foram feitos em homenagem aos 300 anos do encontro da Santa, em 2017.

error: Alerta: Conteúdo protegido!