Cidades São Sebastião

Teimoso diz que Câmara não pode cortar subsídio de vereador para ajudar no combate ao coronavírus

O presidente da Câmara de São Sebastião, Edivaldo Pereira Campos, o Teimoso, disse que a Câmara não pode determinar que 50% dos subsídios de seus 12 vereadores seja destinado para a compra de máscaras, álcool gel, medicamentos ou cestas básicas, na ajuda do combate a pandemia do novo coronavírus no município.

Um ofício de autoria do vereador Gleivison Gaspar foi protocolado na Câmara, com este objetivo. Segundo Teimoso, a Câmara não tem competência e nem pode descontar subsídio de vereadores para destinar os recursos para compra deste produtos.

“Fizemos o pagamento dos subsídios sem nenhum desconto. Não podemos fazer isso. A Câmara também não pode comprar estes produtos, incluída as cestas básicas, até porque estamos em ano eleitoral e isso pode causar problemas com a justiça eleitoral”, comentou.

Teimoso disse que mensalmente destina parte de seus subsídios para comprar remédios e cestas básicas para ajudar as pessoas m ais necessitadas. “Cabe a cada um dos vereadores, se quiserem, doar parte de seus subsídios, mas oficialmente, a Câmara não pode legislar sobre isso”, afirmou.

O presidente da Câmara disse que está bastante preocupado com o novo coronavírus e pediu que a população sebastianense evite sair de casa. A cidade tem dois casos confirmados da doença, investiga uma morte pelo vírus e tem 11 casos suspeitos.

Teimoso pediu que turistas e veranistas da costa sul evitem ir as praias. Segundo ele, um dos casos positivos da doença é de um morador de Maresias, na costa sul.

“Os moradores estão respeitando as orientações, mas que os veranistas estão abusando. Todos devem ficar em casa e principalmente, cuidando dos mais velhos”, finalizou.

São Sebastião tem doze vereadores. Cada vereador recebe subsídio mensal de cerca de R$ 8 mil.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: