Condições das praias Ilhabela

Ilhabela: Prefeitura alega que poluição das praias foi causada pela chuva da última sexta(25)

Foto: Ronald Kraag/ Divulgação

A Prefeitura de Ilhabela emitiu nesta quinta(31) uma nota oficial sobre a poluição das 19 praias da ilha, conforme consta no boletim de balneabilidade da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) divulgado na quarta(30).

Com relação ao recente resultado da balneabilidade das praias de Ilhabela, a prefeitura de Ilhabela informou que até mesmo a Cetesb atribui as bandeiras vermelhas à chuva da última sexta-feira (25).

Segundo a prefeitura, nesse dia, Ilhabela registrou um acumulado superior a 100 mm de chuva, que literalmente lavou as ruas da cidade e levou a água suja para o mar.

Ainda, segundo a prefeitura, a coleta de amostras pela Cetesb ocorreu na manhã do dia seguinte (26) e foi justamente essa coleta de todas as amostragens do período que deu o pior resultado, que culminou com as bandeiras vermelhas.

A prefeitura informou ainda em sua nota oficial, que de acordo com o órgão estadual, os temporais levaram para a praia as águas poluídas com dejetos gerados pelo esgoto não coletado.

Para a prefeitura, é mais do que evidente que ocorreu o fenômeno da poluição difusa, provocada, inclusive, pelo transbordamento de fossas mal cuidadas, entre outros.

A administração confirmou que não é a primeira vez que todas as praias monitoradas ficam impróprias em Ilhabela. Já houve situações semelhantes nos verões de 2016/2017 e 2018. E que, a Cetesb, associou a piora da balneabilidade às chuvas intensas de novembro a final de janeiro.

A prefeitura também informou que montou uma “força tarefa” (Polícia Ambiental, Polícia Militar, secretarias de Meio ambiente, Obras, Gabinete, Administração, Defesa Civil e Fiscalização) para combater qualquer tipo de lançamento clandestino de fossa e esgoto que possam chegar ao mar, rios e cachoeiras, e assim tentar conter a poluição nas praias de Ilhabela. Os lançamentos clandestinos serão notificados as autoridades estaduais como MP e Cetesb.

Essa comissão vai fiscalizar, monitorar e tomar todas as medidas legais para coibir lançamentos clandestinos de esgotos, principalmente em localidades onde não exista ainda sistema público de coleta e tratamento, locais onde o tratamento e disposição dos esgotos de acordo com a lei são de responsabilidade dos proprietários de imóveis residenciais e comerciais.

A Administração municipal, destacou que, com apenas dois anos, reafirma o empenho de recuperar o tempo perdido pela falta de grandes investimentos em saneamento há 20 anos. E, garantiu, que nunca se investiu tanto, como na atual gestão. Segundo a prefeitura, são mais de R$ 160 milhões de investimentos feitos nessa área.

De acordo com a prefeitura, ações a médio e longo prazo estão em andamento, como projetos de regularização fundiária e implantação de redes de coleta, elevatórias e 5 estações de tratamento de esgotos.

E que, em apenas dois anos, estão sendo realizadas obras de 7 quilômetros de rede de esgoto e de água, na região sul, da Ilha da Cabras ao bairro Portinho, mais de 7 milhões de investimentos; já está em licitação mais 23 quilômetros de rede esgoto da Prainha do Julião ao bairro Veloso, investimento de R$ 26 milhões; e também projetos que receberam recentemente o licenciamento ambiental – as estações de tratamento de esgoto nos bairros Feiticeira, Praia Grande, Santa Terezinha, Costa Bela, Reino, Buraco Fundo, Armação, que representam grandes avanços na universalização do saneamento.

A nota oficial destaca ainda que a atual gestão também está investindo em dois grandes reservatórios de água, que serão ampliados dos (Green Park, de 50 mil litros para 1 milhão de litros; e do sistema Pombo, no bairro Bexiga, de 150 mil litros para 1 milhão de litros).

A prefeitura informou que ainda aguarda a entrega dos projetos executivos da Sabesp para troca de toda a rede adutora de água, mais de 45 quilômetros, que vai atender toda a extensão da Praia da Pacuíba ao bairro Borrifos, conhecido como sistema norte-sul.

Segundo a administração, foi a atual gestão que apresentou à Sabesp a proposta de reduzir o prazo da universalização do saneamento no arquipélago de 30 para seis anos e tem um compromisso assumido pelo atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, secretaria estadual, Sabesp e Cetesb, para agilizar todos os projetos e investimentos voltados à esse objetivo.

Segundo informações da Sabesp, Ilhabela conta com apenas 52% de seus domicílios com serviço de coleta e tratamento de esgoto. O Movimento Bandeira Verde promove no sábado, dia 2, às 18h30, no Itaquanduba, uma manifestação contra a falta de saneamento básico e a poluição das praias da ilha. No local, será feita a coleta de assinaturas para um documento que será enviado ao prefeito Márcio Tenório e ao Ministério Público cobrando providências nas obras de saneamento básico e o fim da poluição das  praias da ilha.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: