Geral

Aposta certa

 

Não há dúvidas de que os esportes ligados a artes marciais estão em crescimento, especialmente no Brasil. Uma pesquisa do Ministério da Saúde, de 2018, revela que em comparação a 2006 houve um aumento na procura por lutas e artes marciais de 109%. De acordo com os dados cerca de 5 milhões de brasileiros praticam lutas. O Jiu-Jitsu, por exemplo tem cerca de 2,5 milhões de praticantes. Também estão em alta o muay thai (1,1% dos pesquisados), a capoeira (1%), o judô (0,8%), karatê (0,7%), o boxe (0,6%) e o MMA (0,4%). As demais artes marciais somam 1%.

A casa de apostas Betway montou uma série de infográficos para dissecar as lutas mais comuns, os golpes e lesões e a história do MMA para atender esse público que aprecia as lutas. O material bem completo e explicativo pode ser analisado no blog da Betway . De acordo com um levantamento da Betway as finalizações e nocautes estão cada vez mais difíceis. Até a unificação das regras, em 2009, a maioria das lutas acabava por finalização ou nocaute. Dali em diante, a maior parte das lutas passou a acabar com decisão dos árbitros. Sendo assim, para quem aposta esta é a opção mais segura: 52,19% de todas lutas registradas pelo UFC (Ultimate Fighting Championship ) em 2019 acabaram assim. Para vencer, é cada vez mais necessário um nível de precisão maior. Os dados de alguns dos principais lutadores do UFC demonstram o quanto isso é fundamental em um duelo de estilos como é o MMA atual.

De acordo com material publicado pela casa de aposta Betway, o índice de acerto dos golpes de Anderson Silva é de 60%. Jon Jones tem número parecido, 58%. Embora com estilos bem distintos – e categorias diferentes, com o brasileiro no peso médio e o americano no meio-pesado -, os dois conseguem encaixar muitos golpes nos adversários e isso, claro, é um ponto fundamental de suas lutas.

Dados da Betway revelam também que lutadores e lutadoras vencedores possuem índices de acerto acima de 50%, como Kamaru Usman (53%), Amanda Nunes (51%), Valentina Shevchenko (51%), o que mostra o quanto este quesito é importante para conseguir acumular vitórias. Além de atacar, é preciso também saber defender. Jon Jones é o maior exemplo disso. Seus dados no UFC mostram que ele consegue defender 95% das tentativas de derrubá-lo. Ou seja: lutar no chão contra Jones é algo muito complicado de conseguir, porque ele se defende muito bem. Além disso, ele defende 65% dos golpes significativos tentados contra ele. Por isso, apostar em uma finalização que derrota Jon Jones tem cotações altíssimas nas casas de apostas: justamente porque nunca aconteceu. Em compensação, suas vitórias são sempre muito cotadas e, por isso, pagam menos.

É importante estar atento aos dados e quando for apostar, além de contar com a sorte, ter à disposição os números para chegar mais perto da vitória.