Caraguatatuba Geral

“Cable Crane” passa por avaliações técnicas antes de voltar a operar nas obras da Tamoios

O cable crane, teleférico de carga, trazido da Áustria, pela empresa Queiroz Galvão, para operar o transporte de maquinário pesado para a obra de duplicação do trecho de serra da rodovia dos Tamoios (SP-99), permanece desativado há 15 dias.

O equipamento sofreu o rompimento de uma peça no dia 25 de junho quando passava por uma manutenção preventiva. Com o rompimento de uma peça, parte do equipamento caiu, atingindo um contêiner sanitário, que estava desativado e vazio.

Nenhum funcionário da empresa Queiroz Galvão ficou ferido porque a área tinha sido isolada, seguindo as regras de segurança. A recuperação do equipamento dependia de peças vindas do exterior.

Segundo a Queiroz Galvão o equipamento está passando por testes de carga e avaliação técnica para retomar a operação. A empresa não informou se haverá atraso nos serviços, alegando que, não comenta sobre o cronograma da obra por questões contratuais.

Cable Crane

Teleférico de carga é fundamental para evitar danos ao meio ambiente nas obras de duplicação da Tamoios

O equipamento austríaco foi trazido pela Queiroz Galvão, para execução de obras em área de mata fechada e preservada, para evitar danos ao meio ambiente.

O cable crane começou a operar, em março, nas obras de duplicação do trecho de serra da Rodovia dos Tamoios.

O equipamento, conhecido como teleférico de carga, é utilizado para transportar tratores, retroescavadeiras, perfuratrizes e material de construção num local da mata onde está sendo construído um viaduto.

O viaduto, de mais de 300 metros de extensão e 21 metros de altura, será parte da nova pista de acesso até Caraguatatuba. O viaduto, no km 72,8, deverá ser concluído no 2º semestre deste ano.

O equipamento, também, leva trabalhadores, que são transportados em gôndolas acopladas ao cabo do teleférico e, até “marmitas” e “café da manhã” dos operários. Tudo para evitar danos ao meio ambiente.

O equipamento foi trazido da Áustria pela Queiroz Galvão para evitar a construção de uma estrada de serviço – por terra, que obrigaria o desmatamento de cerca de 41 mil metros quadrados, o equivalente a supressão de cinco campos de futebol de Mata Atlântica.

A montagem do ‘cable crane’ levou cinco meses e o equipamento suporta peso de até 20 toneladas. O teleférico, cujo modelo é inédito em obras no Brasil, será usado até maio de 2020.

O equipamento começou a ser construído em setembro do ano passado e a construção dele contou com o apoio de helicópteros – as torres içadas sobre as montanhas da serra têm 42 metros e 35 metros, respectivamente e, toda estrutura do teleférico pesa 165 toneladas.

Equipamento inédito no Brasil, precisou de apoio de helicópteros para ser instalado na Serra do Mar

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: