Geral Litoral Norte

Greve: PM informa que paralisação tem pouca adesão e segue pacífica

O comandante da PM no Vale e Litoral Norte, coronel José Eduardo Stanelis, disse que não ocorreu grandes manifestações ou adesão maciça à greve na região, até o momento.

Segundo o comandante da PM no Vale e Litoral, coronel Stanelis, greve tem pouca adesão e segue pacífica na região

Segundo ele, a maior parte dos problemas aconteceu no início da manhã com a tentativa de sindicalistas e manifestantes de tentar convencer os trabalhadores a não entrarem nas empresas no Vale do Paraíba.

” Na média, eram cerca de 30 sindicalistas e manifestantes por empresa, que tentavam impedir a entrada dos Trabalhadores. Houve poucos casos de tentativa de impedir a entrada de trabalhadores mediante bloqueio forçado na entrada de empresas. Nesses casos a entrada foi desimpedida por negociação entre os grevistas e as empresas, ou mediante ação  da PM visando garantir a entrada que quem não  quis aderir a greve. Não  foram relatados conflitos violento até o momento”, informou o comandante da Polícia Militar.

Greve

No Litoral Norte aderiram a greve os petroleiros, os portuários, a apeosep e servidores municipais. A adesão foi maior em São Sebastião.

Segundo o sindpetro(Sindicato dos Petroleiros), 120 dos 150 funcionários do Tebar(Terminal Marítimo Almirante Barroso) aderiram a paralisação. O terminal, um dos mais importantes da Petrobras no país, acionou seu grupo de contingência(diretores e superiores) para manter parte dos serviços em operação.

No porto de São Sebastião, o segundo mais importante do estado, os portuários também cruzaram os braços em apoio a greve nacional. Segundo consta, as operações no porto estão paradas devido a greve da categoria.

O sindserv(Sindicato dos Servidores Municipais) de São Sebastião também aderiu a greve, bem como, a Apeoesp. Não foi informado quantos servidores de São Sebastião aderiram ao movimento. Nas demais cidades da região não se tem informações sobre possíveis adesão ao movimento.

Vale do Paraíba

Nas cidades do Vale do Paraíba foram registradas alguns problemas. Três ônibus foram incendiados. O primeiro ônibus (empresa Venetur Turismo) costuma dormir na porta da casa do motorista e pegou fogo as 02:07hs, Rua Alberto Renard, 307, Jd Santa Inês, São José dos Campos, sendo o incêndio apagado pelo motorista, populares e  Corpo de Bombeiros. Não se sabe causa do incêndio.

O segundo ônibus sofreu tentativa de incêndio, em Jacareí as 01:07hs, quando o ônibus estava parado em frente da casa do motorista. Endereço do fato: Rua Saadallah Jose Assad, 287, Pq Califórnia. Jacareí.  dois indivíduos com galão de combustível atiraram fogo no ônibus e se evadiram do local, causando incêndio de pequena proporção que foi extinto pelo próprio proprietário.

O terceiro caso de incêndio ocorreu em Jacareí, no bairro Califórnia, Rua Henrique da Cunha,  515, bairro Cidade Nova Jacareí, Jacarei. O veículo estava na via pública  e o motorista viu o ônibus começar a pegar fogo. Incêndio debelado pelo corpo de bombeiros. Perda total do veiculo. Empresa JTU (fretado).

Segundo a PM, numa manifestação em frente aos portões da Johnson, em São José dos Campos, sindicalistas  tentaram impedir a entrada de funcionários. O BAEP, no local, avisou sobre o direito de entrar dos trabalhadores que quisessem trabalhar. Os manifestantes tentaram bloquear a entrada de trabalhadores entrando na frente dos carros e chegaram inclusive a chutar um veículo. Os manifestantes filmavam a ação do BAEP, e se jogavam na frente dos carros para impedir a entrada dos trabalhadores. Quando perceberam que o BAEP também os estava filmando, rapidamente pararam de filmar e de bloquear a entrada da empresa e os empregados puderam entrar.

Na REVAP, em São José, manifestação segue pacífica em frente a empresa. No bairro Chácaras Reunidas, na empresa de coleta de lixo Sustentare, manifestantes tentaram impedir os funcionários de saírem com os caminhões de coleta.

 

%d blogueiros gostam disto: