Geral Ubatuba

Hang Loose Surf agita a praia do Perequê-Açu, em Ubatuba

O Hang Loose Surf Attack é atração em Ubatuba. A  2ª etapa do Circuito que começou nesta sexta(18), está sendo disputada, na Praia de Perequê-Açu, por 236 atletas com limite de 18 anos, sendo os caçulas com seis anos. São seis categorias em disputa, valendo pelo ranking paulista. Ó Hang Loose é o mais tradicional evento de surfe do País e já revelou grandes nomes, como Gabriel Medina, Adriano Mineirinho e Filipe Toledo, entre outros.

Em ação a júnior (sub18), mirim e feminina (sub16), iniciante (sub14), estreante (sub12) e petit (sub10), além da disputa por cidades, outra grande atração do evento. A competição será toda transmitida ao vivo pela internet, no site da Federação Paulista de Surf, o www.fpsurf.com.br. Entre os destaques, estará Murillo Coura, vencedor da etapa inicial na estreante, categoria que foi o vice-campeão de 2018.

O surfista de 12 anos nasceu em São José dos Campos, no interior e, quando a família decidiu investir no surf, foi em Ubatuba que decidiram morar inicialmente. Nos dois últimos anos, ele vive em Maresias, mas conhece bem a cidade sede da 2ª etapa do Hang Loose Surf Attack. “Estou bem confiante, mas vai ser um passo de cada vez. Comecei bem no ranking e isso é importante e agora estou mais animado ainda com um novo apoio, que é da região”, diz o também vice-campeão paulista petit em 2017.

Outro nome forte vem de longe, de outro estado, mas conhece bem o Circuito. O catarinense Heitor Mueller foi o campeão do Hang Loose Surf Attack na iniciante em 2018 e este ano começou bem, chegando em duas finais, sendo o terceiro na mirim e o quarto na júnior. “Vou novamente disputar as duas e estou com muita vontade de competir em Ubatuba, onde ainda não fiz bons resultados, mas talvez seja a hora de mudar isso”, afirma o também atual campeão brasileiro iniciante.

Já entre as meninas, Sophia Medina, irmã caçula do bicampeão mundial Gabriel Medina, tem o favoritismo. E não só pelo famoso sobrenome, mas por suas atuações nas ondas, seguindo de perto os passos do irmão. A categoria feminina sub16 foi criada no ano passado e Sophia entrou para a história sendo a primeira campeã. Contando com a etapa inicial deste ano, foram cinco finais, com quatro primeiros lugares (inclusive esse ano) e um segundo. “Treinei bastante, estou feliz com a vitória na primeira etapa e espero repetir o resultado”, comenta Sophia.

%d blogueiros gostam disto: