Geral Ilhabela

Ilhabela vai investir R$ 13,9 milhões para recuperar trecho da SP-131 que é de responsabilidade do Estado

Apesar da rodovia SP-131, ser de responsabilidade do Estado- é a única rodovia estadual em Ilhabela, a Prefeitura local informou ontem que irá investir R$ 13,9 milhões na contenção de suas encostas.

O trecho da rodovia estadual no bairro do Piúva sofreu um grande deslizamento em maio, que provocou a interdição do tráfego de veículos entre o norte e sul da ilha por vários dias.

Em entrevista concedida à uma emissora de rádio na sexta(7), a prefeita Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, comentou que estaria agilizando as obras porque o estado, através do DER(Departamento de Estradas de Rodagem) não teria como fazer a obra.

Gracinha informou ainda, que o Estado autorizou a prefeitura a fazer as obras de contenção no trecho da rodovia atingido pelo deslizamento de terra.

A prefeita adiantou ainda, em sua entrevista, que já iniciou conversas com o Estado para municipalizar a rodovia SP-131.

A SP-131 foi construída pelo estado. A rodovia tem 24,5 quilômetros de extensão, ligando a Ponta da Cela até a Ponta das Canas. é a única estrada que liga o norte ao sul da ilha.

Em 2013, o Estado investiu R$ 3 milhões no recapeamento num trecho de 17,5 quilômetros, entre Armação, Ponta das Canas e Borrifos. O então governador Geraldo Alckmin este na ilha para inaugurar a obra.

Obras

 

A prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, informou que terão início as obras emergenciais para execução de contenção na Rodovia SP 131, na altura do bairro do Piúva, na região Sul.

O contrato, assinado pela prefeita Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, prevê o investimento de R$ 13,9 milhões e duração de, no máximo, seis meses, para realização das obras pela empresa “Preserva Engenharia”.

A ação, em caráter emergencial devido sua gravidade, zela pela segurança dos moradores e transeuntes da via.

A rodovia ficou interditada em sua totalidade por uma semana após grande desmoronamento, que levou muito material (árvores, terra e resíduos do imóvel destruído). Atualmente, a via segue liberada em meia pista no sistema “Pare e Siga”, após os trabalhos de desobstrução realizados por diversas equipes da Prefeitura, entre elas, Secretarias de Planejamento Urbano, Obras e Habitação, Serviços Urbanos e Defesa Civil.

O local segue sendo monitorado pela empresa “Teknier” para controle geotécnico de movimentações.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: