Geral Litoral Norte

Interdição de estradas faz moradores de Ilhabela e São Sebastião “superlotarem” os barcos

Com os acessos interditados, devido aos deslizamentos de encostas, que impossibilitam a circulação dos ônibus das linhas municipais, moradores de Ilhabela e São Sebastião, superlotam as embarcações colocadas à disposição pelas prefeituras, para se locomoverem de um bairro para outro.

Ilhabela

Fila para utilizar as embarcações em Ilhabela

Em Ilhabela, por causa da interdição da SP-131, que liga o Norte ao Sul, para transitarem de um lado da ilha para o outro, os moradores da Ilha utilizam as lanchas cedidas pela prefeitura local. A espera é demorada, mais de uma hora para conseguir embarcar.

A Prefeitura de Ilhabela informa nova rota do transporte marítimo disponibilizado aos moradores que necessitam seguir para a região central do município ou ao sentido sul. A partir desta terça-feira (21), as cinco embarcações e mais uma escuna farão o embarque e desembarque no píer do Portinho e no atracadouro da balsa, na Barra Velha.

A mudança foi realizada pensando no bem-estar dos munícipes, uma vez que na proximidade da balsa, dispõe de melhor estrutura para atender a população, como ponto de ônibus coberto, banheiro público, além de se tratar do terminal do transporte público.

As embarcações funcionam das 5h até 2h da manhã, sendo que durante a madrugada dois barcos permanecem de plantão para atender o transporte em casos de Urgência e Emergência.

Enquanto a rodovia SP-131 não for liberada, o transporte pelo mar é a única opção dos moradores para se deslocarem do norte para o sul e vice-versa.

Não há previsão para liberação da rodovia. Técnicos do IG(Instituto Geológico) fazem vistoria no local, que ainda está muito encharcado e com risco de novos deslizamentos. A prefeitura suspendeu as aulas em sete escolas e a coleta do lixo.

São Sebastião

Em São Sebastião, também, devido a interdição do Km 118, nas proximidades da Praia das Cigarras e suspensão das linhas do transporte urbano e intermunicipal, os moradores não possuem outra opção de ir até o centro a não  ser os barcos cedidos pela prefeitura.

A procura tem sido muito grande e a espera, também, mais de uma hora, para conseguir vaga nas embarcações. Somente nesta segunda, num período de oito horas, mais de seis mil pessoas utilizaram o transporte emergencial feito por botes.

O transporte segue em funcionamento 24 horas por dia, até que seja feita a liberação total da Rodovia Rio-Santos, na altura do quilômetro 118 – na Cigarras, onde há o risco iminente do deslizamento de barreiras.

Pelo mar, o trajeto feito entre a praia das Cigarras e o Píer do bairro São Francisco foi a alternativa para a população que reside nos bairros da Costa Norte e na cidade de Caraguatatuba acessar a região central de São Sebastião.

Segundo as equipes da prefeitura, os barcos saem em um intervalo de 20 minutos com capacidade de transporte de 480 pessoas. A Prefeitura informou ainda que as embarcações são preparadas para este tipo de transporte e contam com profissionais habilitados e coletes salva-vidas.

A Prefeitura de São Sebastião informou que o tráfego na Rio-Santos voltou a ser bloqueado na SP-55, na altura do KM 118, entre os bairros da Cigarras e Enseada.  Deverá ser liberado às 18 horas.

Emergência

O prefeito Felipe Augusto decretou situação de Emergência no Município por causa das fortes chuvas que atingiram a cidade nos últimos dias. De acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil o acumulado das chuvas nas últimas 96 horas chegou a 264 milímetros.


No bairro de Barequeçaba, região central da cidade, 34 famílias que moram nas ruas Casemiro de Abreu e Genciano Felipe Bueno  foram removidas de suas casas devido ao risco de queda dos imóveis que estão em uma área de encosta.

Desde a manhã desta segunda-feira (20), o prefeito Felipe Augusto e as equipes da Defesa Civil Municipal, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, das secretarias de Serviços Públicos, Saúde e Desenvolvimento Social estão no local avaliando a situação e providenciando a retirada dos pertences das famílias que serão guardados provisoriamente no Centro de Apoio Educacional (CAE) do bairro.

Segundo o Major Marcelo Vieira dos Santos, da Coordenadoria de Estado de Defesa Civil, com o decreto da situação de emergência será feito o registro dos danos e prejuízos causados pelas chuvas. “O processo da situação de emergência serve para fazer o registro dos danos e prejuízos que pode ser público ou privado. No caso das famílias de Barequeçaba, por exemplo, os moradores terão amparo jurídico para fazer o resgate do FGTS deles”, explicou o Major.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Social cerca de 30 pessoas estão desabrigadas e 120 desalojadas e hospedadas em abrigos temporários.

No final de semana o Fundo Social fez o atendimento de mais de 400 pessoas que passaram pelos abrigos provisórios montados em unidades de ensino da cidade. Cerca de 150 pessoas somente na EMEI Chapeuzinho Vermelho, no bairro São Francisco e cerca de 40 pessoas na unidade da Enseada.

A rodovia Rio-Santos, altura do quilômetro 118 – no bairro Cigarras – permanece interditada totalmente para a limpeza da pista e a contensão da encosta que ainda corre o risco de deslizamento.

Os técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Instituto Geológico e da Defesa Civil seguem com o monitoramento e as avaliações periódicas para que possa ser feita liberações momentâneas de meia pista.

A Defesa Civil permanece com o monitoramento das áreas de risco e pede para a população em caso de ocorrências ligue para os números de atendimento nos telefones 153 e 199.

 

1 Comentário

  • Aquela encosta entre cigarras e enseada sempre vai ceder com as chuvas,pois há pessoas que frequentemente colocam fogo e não permitem a vegetação nativa crescer, vegetação essa que seguraria a encosta!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.