Geral Litoral Norte

Policia Federal alega ter dados suficientes que confirmam corrupção na Prefeitura de Ilhabela

A Operação Prelúdio II deflagrada em Ilhabela, São Sebastião e Caraguá pela Polícia Federal afastou o prefeito Márcio Tenório do cargo e outros quatro funcionários da prefeitura da ilha, abriu investigações sobre dois vereadores da cidade e  prendeu três pessoas, em Ilhabela, Caraguá e São Sebastião. Um total de 90 policiais federais de São Sebastião, Campinas, Santo André e Santos cumpriu 21 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão e seis mandados de afastamento de função pública

Por Salim Burihan

O delegado da Polícia Federal, Carlos Roberto de Almeida, que coordena as investigações da Operação Prelúdio II deflagrada nesta terça(14) em Ilhabela, São Sebastião e Caraguá, afirmou que tem elementos suficientes para comprovar o envolvimento do prefeito Márcio Tenório(MDB) com corrupção praticada na Prefeitura de Ilhabela.

O delegado Carlos Roberto de Almeida que coordena as investigações explica a Operação Prelúdio II, ao lado de seu colega Gilberto Castro Júnior:

Segundo o delegado, ao assinar um contrato emergencial no valor de R$ 16 milhões com uma empresa de coleta de poda de árvores e entulho, Tenório estaria acertando “uma dívida de campanha” com o empresário Adriano César Pereira.

O delegado disser que a empresa anterior tinha um contrato de R$ 5,3 milhões para o mesmo serviço. “Isso tem sido muito comum no Brasil”, comentou o delegado.

A Polícia Federal chegou a pedir a prisão de Tenório, mas o Tribunal de Justiça concordou apenas com o afastamento do prefeito cargo por tempo indeterminado.

Tenório, que esteve na sede da Polícia Federal em São Sebastião, por causa de munições calibre 380 encontradas em sua casa, limitou-se apenas a responder que os advogados dele estão se inteirando da ação e que pretende colaborar com a Polícia Federal e com a justiça.

Vídeo mostra o prefeito Tenório deixa a sede da PF acompanhado de seus advogados:

Segundo o delegado Carlos Roberto de Almeida, houve solicitação para que o prefeito desse depoimento sobre o caso, mas Tenório não aceitou falar. Ele disse que só dará depoimento quando for intimado pela justiça.

Prelúdio II

A polícia Federal contou com reforços de Santos, Santo André  e Campinas na execução da Operação Prelúdio II. Um grupo de 90 policias atuaram na operação que executou 21 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão e seis mandados de afastamento de função pública.

Os policiais chegaram logo cedo em Ilhabela, por volta das 7 horas. Lá, estiveram na casa do prefeito, na prefeitura, na câmara e na casa do empresário Adriano César Pereira. Apreenderam documentos na prefeitura, na casa do prefeito e na Câmara.

Na Câmara, os policiais recolheram documentos e notebook nos gabinetes dos vereadores Gabriel Rocha e Cleison Guarubela. Um inquérito instaurado pela PF investiga o envolvimento dos dois vereadores no esquema de corrupção na prefeitura.

A justiça de Ilhabela autorizou o afastamento do prefeito, do secretário de Saúde, Oswaldo Julião, de seu filho Vinicius Julião, secretário de Assuntos Jurídicos e de outros três  funcionários da prefeitura:  Fernando Ubirajara, presidente da Comissão de Licitações;  Antônio Ganasevici , Coordenador de Resíduos Sólidos; e, Valdemir de Almeida, diretor administrativo da Secretaria de Meio Ambiente.

Prisões

Na ilha, foi preso o empresário Adriano Pereira; em Caraguá, a empresária T.N, dona de uma loja de automóveis; em São Sebastião, um policial militar, considerado como o “laranja” de Adriano Pereira. A PF apreendeu cerca de R$ 105 mil reais em dinheiro e US$ 500. O inquérito deve ser concluído em junho.

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: