Polícia

Duas quadrilhas presas em São Sebastião eram responsáveis por 80% dos roubos registrados no município

Rafael César

Rafael César

Cinco membros foram presos e as quadrilhas identificadas como responsável por cerca de 40 assaltos na região; o grupo era especializado em roubos a comércios e casas 

Por Rafael César, de São Sebastião

 

Cinco assaltantes foram presos em duas operações da Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, no último mês em São Sebastião. Eles assumiram cerca de 40 assaltos feitos na Costa Norte e Sul de São Sebastião. A onda de crimes estava deixando os moradores da cidade em pânico e com uma sensação de insegurança.

A primeira operação prendeu três membros de uma quadrilha na divisa com Caraguatatuba. Dois dos presos viviam na cidade vizinha, nos bairros do Rio do Ouro e no Perequê Mirim. O outro morava no Canto do Mar, em São Sebastião.

Um dos assaltantes, A.G.M, 43, é professor. Os outros dois envolvidos têm 25 e 26 anos, respectivamente. A quadrilha agia com um carro para levar os itens roubados a um esconderijo no bairro Topolândia.

Os policiais encontraram uma pistola Glock e um revólver Taurus calibre 38, além de diversos tipos de munições. Uma lista com mais de 50 itens de coisas roubadas estava na mão do capitão da polícia Militar de São Sebastião e Ilhabela Daniel Lemes.

“Eles roubavam joias, tênis, celulares, tudo o que possam imaginar. A quadrilha é de Caraguatatuba, mas mantinham seu esconderijo aqui em São Sebastião. Eles usavam um carro deles, do modelo Tucson. Tudo o que eles roubaram já foi devolvido às vítimas. Nós das policias civil e militar queremos devolver a sensação de paz para a população de novo, essa onda de roubos acabou”, comenta o capitão.

A segunda quadrilha foi pega na segunda quinzena de junho, no bairro do Itatinga. Ela era composta por três membros, dos quais dois foram presos. Segundo Daniel Lemes, um dos membros já havia fugido para outro estado e os dois rapazes confessaram roubos que ficaram marcados na mente de muitos munícipes. 

“Muitas pessoas comentaram sobre esses assaltos, pois muitos foram no Centro ou nas proximidades dele. Como, o roubo ao Auto Posto Sales, na Drogaria São Paulo, no Auto Posto Guarda Mor e também no supermercado Dia, no Pontal da Cruz, que o proprietário é o prefeito, entre outros”, conta.

Os assaltantes confessaram os roubos de duas motos e também de bicicletas, , relatou o capitão. Os dois assaltantes eram muito jovens, um está com 18 anos e o outro com 17. Esse que é menor de idade já está nas ruas, por falta de vaga na Fundação Casa. O outro está aguardando julgamento no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Caraguatatuba.

Os policiais chegaram até as quadrilha por meio de denúncias e investigações, após a cobrança da sociedade sobre os roubos ocorridos. 

População

Os problemas com a falta de segurança estavam afetando diretamente a rotina dos frequentadores da região central de São Sebastião. Mesmo com a prisão das quadrilhas, muitas pessoas ainda afirmam sentir receio.

Esse é o caso da estudante Evelise Nunes, 23 anos, que trabalha num estabelecimento comercial. Ela conta que trabalha e estuda nos trechos que estavam tendo mais ocorrências e que isso gerou muito receio e a mudança de alguns hábitos. “Antes eu ficava tranquila, andava do trabalho para a escola sem medo, mas depois que uma loja vizinha da que eu trabalho foi assaltada, não fiquei mais em paz. Agora faz um tempinho que não soube de outros roubos, mas o medo ainda não passou. Por isso, eu prefiro andar sempre em grupo, espero amigos para voltar para casa ou ir para a escola, evito usar o celular na rua”, explicou.

Patrícia Jamile Freitas, 30, concorda que a situação está melhor, mas diz que a sensação de insegurança não passou completamente. “Antes a gente estava ouvindo sobre casos de assaltos quase todos os dias. Tive amigos que foram roubados aqui e que passaram grandes sustos. Então agora, mesmo tendo a notícia de que a polícia prendeu os culpados, a gente não fica sossegada completamente”, contou.

Para Wilson Oliveira, 44, a cidade precisa de reforços, seja no monitoramento das câmeras, seja com mais policiamento. “A polícia procura fazer sua parte, mas não tem como dar conta de tudo sozinha. Antes a gente tinha as câmeras aqui, hoje nem se fala mais disso. E a guarda municipal, tem reforçado o trabalho da polícia?”, questionou.

Ranking dos roubos

O capitão destacou que os roubos de smartphones e  celulares representam 90% dos roubos na cidade e pede a atenção dos cidadãos para evitar esse tipo de assalto. Segundo ele, é importante evitar ficar mexendo no aparelho em pontos de ônibus, principalmente nos momentos em que a pessoa está sozinha. Também não é recomendado o uso excessivo em locais aglomerados. “É preciso se manterem sempre atentos em qualquer situação de uso”, explicou. 

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: