Cidades Ubatuba

Apenas cinco dos dez vereadores compareceram à sessão após eleições em Ubatuba

Aberta pelo vereador Ricardo Cortes (Podemos), nesta terça feira, a 36ª sessão ordinária da Câmara de Ubatuba registrou na leitura da lista de presença, a falta de metade dos dez vereadores em plenário, fato “atípico” ou inédito no histórico do Legislativo. “Estamos realizando hoje uma sessão diferente. Que nas próximas legislaturas, tal fato não seja necessário”, declarou o médico-vereador.

Sem quórum para votações, a sessão serviu de palco para despedidas e balanços por parte de Claudnei Xavier (PV), Junior Jr (Podemos), Reginaldo Bibi (Cidadania), Rochinha do Basquete (Republicanos) e o próprio Ricardo Cortes.

Foi o vereador Reginaldo Bibi quem classificou como “fato atípico” ausência de quórum: “estou aqui há oito anos e nunca aconteceu isto”. Afirmou que foi mais votado que em eleições anteriores, parabenizou os vencedores e também os vencidos. “Todos fizeram boa luta. Venceu quem trabalhou mais. Sempre defendi oxigenação na Política e a vontade popular é soberana.” Lembrou que um dos novos eleitos é da sua legenda (o novo vereador Ita ou Vantuil Mascarenhas, do Podemos).

Também o vereador Claudnei Xavier (PV) fez um balanço de seus três mandatos na Câmara de Ubatuba, mencionando as várias CPIs ou Comissões Parlamentares de Inquérito que presidiu, lembrou que teve o privilégio de inaugurar essa nova Casa de Leis como Presidente à época (2017) e entende que “faz parte da história desse Legislativo” cobrando retorno de sua foto no painel.

“Não teve na história de Ubatuba um vereador que elaborou tantos requerimentos, que convocou tantas CPIs, ali presidindo ou sendo relator”, enfatizou. “Protocolei as conclusões junto ao Ministério Público e todos os gestores envolvidos nos inquéritos foram penalizados em cima dos seus erros”.

Seu partido, o PV, teve o vereador mais votado nessa eleição, na pessoa de Jorge Ribeiro, o Jorginho, com 1.784 votos, o que lhe abre espaço para ocupar a presidência da Câmara em 2021/2022.

Já Rochinha do Basquete agradeceu todos os eleitores que votaram nele, parabenizou os novatos e também lembrou que seu partido, o Republicanos, continua representado na Câmara na pessoa do vereador Osmar, reeleito com 1.102 votos.

POLITICA DA BARGANHA

Na sua vez, o reeleito Junior Jr. (Podemos), na condição de segundo mais votado dentre os candidatos, deixou recado: “não podemos deixar que a política da barganha volte a prevalecer na nossa Ubatuba. Veio uma mudança e que essa mudança seja de verdade. Podem ter certeza de que vou lutar e muito para que a velha política suja dos ratos que aqui às vezes trabalham, não pode mais acontecer”.

A fala de Junior recebeu resposta de Claudnei que voltou a frisar “ter sempre trabalhado com empenho e com honestidade, integridade e moralidade nessa casa de leis. Não há velha política. Não há renovação, mas inovação”, concluiu.

Junior então citou um por um dos presentes dizendo que aprendeu com todos e não se referia a eles. “Foram quatro anos de aprendizado que me valeram muito. Digo que a Democracia sempre deve prevalecer e prevaleceu. O que me estranha hoje é ver essa Casa apenas com cinco vereadores. Tomara que não estejam doentes. Nas derrotas é que aprendemos”.

MOVIMENTAÇÃO DE ESTREANTES

Enquanto isso, cinco dos seis novos vereadores eleitos no dia 15 de novembro mais o reeleito Júnior Jr (Podemos), apressavam-se, ainda nesta terça feira, em movimentações nas redes sociais e em reuniões informais na Câmara para apresentar uma composição de maioria visando à formação da nova Mesa Diretora que, no entanto, juridicamente, só poderá ser formalizada no dia da posse, em 1º de janeiro de 2021.

Em postagens replicadas pelo Facebook e outras redes, o mais votado, Jorge Ribeiro (PV), apresenta-se como o novo Presidente da Câmara dizendo ser parte “do grupo que vai trabalhar juntos com a prefeita Flávia Pascoal. Trata-se de um grupo que tem trabalhado pela cidade e está aqui para concretizar essa parceria, um grupo que pregou a renovação na Câmara”.

O advogado Eugênio Zwibelberg (PSL), apresentado como primeiro vice-presidente, fala em seguida confirmando a parceria e dizendo que vão trabalhar junto com o Executivo para buscar mais verbas para o Orçamento visando às melhorias para a cidade. O reeleito Junior Jr apresentou-se como segundo vice-presidente.

No vídeo postado em redes, em seguida os vereadores José Lourenço, o D”Menor, diz ser o primeiro secretário da nova Mesa Diretora, Edelson Fernandes (PSC), morador do Rio Escuro, o 2º secretário. Vantuil Mascarenhas, o Ita (Cidadania) não fala sua função..

Os seis vereadores percorreram gabinetes da Câmara e tiraram foto juntos já na mesa do plenário. O veterano Rogério Frediani, do PL, partido da nova prefeita eleita, que segurou toda a campanha de Flávia, no entanto, ficou de fora desta composição. Frediani retorna à Câmara após oito anos fora.

GALHARDIA

Presidindo uma sessão atípica, Dr. Ricardo Cortes enfatizou que “estamos hoje realizando uma sessão diferente. Eu não faço parte da Mesa Diretora mas estamos presidindo, realizando uma sessão fora dos padrões. Que nas próximas legislaturas, tal fato não seja necessário. Perdemos a eleição mas isso é democrático. Sempre lutamos para que a Democracia persistisse e ela venceu. Eleição é eleição, é opção do Povo”.

O médico-vereador lembrou que “vivemos uma pandemia, deixamos de dar moções, deixamos de fazer sessão solene para entrega de títulos de cidadãos, todos lavando mãos, usando máscara, seguindo isolamentos. Valeu a pena. Eu corri atrás de vários projetos. Ajudei o amigo Júnior Jr, do meu partido, o Podemos, a ser reeleito. Aqui ninguém está chorando mágoas. Todos nós vamos continuar, vamos ajudar outros vereadores. Perdemos com galhardia mas estamos de pé e às ordens de todos”, concluiu encerrando a sessão.