Caraguatatuba Tamoios

Capim, preso pelo roubo de 770 quilos de ouro na capital, liderou ataques a carros-fortes na Tamoios

O DEIC(Departamento de Investigações Criminais) informou ontem que Marcelo Ferraz, o Capim, um dos homens presos e indiciados pelo roubo de cerca de 770 quilos de ouro no Aeroporto de Cumbica, na Grande São Paulo, teria sido um dos envolvidos no ataque a dois carros-fortes na Rodovia dos Tamoios, em 2017.

O ataque aos carros-fortes da empresa Protege, ocorreu entre a noite de 21 e a madrugada de 22 de dezembro de 2017,  no Km 16, da Rodovia dos Tamoios, próximo a praça de pedágios, no município de Jambeiro.

Os bandidos incendiaram dois caminhões na pista para bloquear a passagem dos carros fortes. Houve tiroteio com a polícia rodoviária estadual. No tiroteio, um segurança e dois policiais teriam ficado feridos. Cerca de 20 bandidos teriam participado do ataque aos carros-fortes.

Os bandidos fugiram abandonando um veículo com carga de explosivos na rodovia. Um grupo especial da PM fez o desarme dos explosivos. A Tamoios ficou cinco horas interditada devido a tentativa de assalto aos carros fortes.

O delegado Pedro Ivo Corrêa, da delegacia de Roubo a Bancos do Deic, afirmou que Capim será indiciado por dupla tentativa de latrocínio, o roubo seguido de morte, no caso da Tamoios. No caso de Cumbica, ele foi indiciado por roubo, extorsão mediante sequestro, falsidade ideológica e formação de quadrilha

Para a investigação, Capim depois teria sido o responsável por toda a parte operacional do assalto ao terminal de cargas de Cumbica, que aconteceu no dia 25 de julho.

Capim foi preso no fim de semana, após ser localizado pelos policiais no Guarujá, no litoral, onde estava escondido. No assalto feito no terminal do aeroporto, os ladrões roubaram 769.9 quilos de ouro, além de 15 quilos de esmeraldas brutas, 18 relógios e um colar de luxo.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: