Cidades Ilhabela

Coletivo Juntos Somos Livres de Ilhabela está insatisfeito com a obrigatoriedade de carteira de vacinação estipulada em decreto

Um grupo de moradores de Ilhabela, intitulado Coletivo Juntos Somos Livres, foi até a prefeitura municipal na manhã desta segunda-feira (22), para expor insatisfação contra a medida do decreto municipal nº 8879 que obriga estabelecimentos comerciais a solicitar carteira de vacinação impressa ou digital para clientes e frequentadores.

O Decreto, publicado na sexta-feira (19), dispensa o uso de máscaras contra a Covid em espaços abertos e mantém a obrigatoriedade para ambientes fechados, no transporte público, em eventos ao ar livre com aglomeração de pessoas ou repartições públicas.

Para o coletivo Juntos Somos Livres a obrigatoriedade do comprovante de vacinação se trata de segregação, eles acreditam e defendem que as pessoas possam escolher, “não somos contra a vacina, somos contra o passaporte sanitário e a segregação”, pontua um trecho da nota enviada.

A nota acrescenta que o grupo foi recebido nesta manhã pelo prefeito de Ilhabela: “Colucci nos recebeu muito bem, com muita cordialidade, o que é de sua característica, entendemos que ele deseja o melhor para Ilhabela, tivemos uma conversa onde houve a possibilidade de flexibilização para não vacinados poderem usar o comércio em horários restritos, para nós se trata de segregação e neste momento tivemos uma pessoa do nosso grupo que se exaltou e saiu da sala para que a conversa seguisse mas infelizmente o Prefeito encerrou a conversa. Sentimos muito pelo o ocorrido e somos muito gratos pela reunião mesmo que encerrada. Estamos esperançosos de que o bom senso, a legalidade e os princípios constitucionais serão priorizados pelo Executivo Municipal. Povo Unido e Governo consciente.

Prefeito 

O Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, disse que recepcionou o grupo para uma conversa, mas teve que finalizar a reunião por conta do comportamento de um dos participantes.

“Respeito o grupo e sempre estaremos a disposição para dialogar, buscando o melhor para a sociedade de Ilhabela e em defesa da maioria. O decreto confeccionado na última sexta-feira nos permite uma maior flexibilização sobre o uso de máscaras em espaços abertos e sem aglomeração. Porém, também exigimos a comprovação da carteira de vacinação para acessar os estabelecimentos comerciais, repartições públicas, casamentos, eventos desportivos, educacionais e culturais. Estamos em defesa da sociedade de Ilhabela, pois quase 95% da população já tomou a 1ª dose e mais de 85% já completou o ciclo vacinal, ou seja, o morador de Ilhabela acredita na vacina e na ciência. Além disso, a população tem mostrado confiança nas medidas que foram adotadas na cidade pela gestão, tanto que fomos comparados com a Nova Zelândia no combate à Covid. Temos as menores taxas de mortalidade do Brasil e os índices de internação são muito baixos e por isso decidimos avançar. Se percebemos que erramos, podemos retroceder sem problemas. Como especialista em saúde sanitária, entendo que o cidadão tem o direito de não tomar a vacina, mas não pode colocar em risco outras pessoas, principalmente por conta de novas cepas do vírus”, explicou o prefeito.