Cidades São Sebastião

Delegacia de São Sebastião abre investigação contra o “Exposed” por injúria e difamação

O delegado Vanderlei Pagliarini, titular do primeiro distrito policial de São Sebastião, iniciou procedimentos investigatórios de natureza criminal para apurar os responsáveis pela “Exposed”(exposto), um grupo que divulgou através das redes sociais, whatsapp e Facebook, uma lista com os nomes de supostos abusadores de mulheres na cidade. O Exposed também atua em Caraguatatuba, Ilhabela e Ubatuba.

Centenas de mulheres em todo o país e, também, nas cidades do Litoral Norte, aderiram ao Exposed para denunciar homens acusados de assédio, importunação sexual, estupro, comportamento abusivo e abuso psicológico.

No Exposed, as vítimas citam quais tipos de abusos sofreram. As opções são Assédio Sexual, Assédio Verbal, Estupro, Agressão, Relacionamento Abusivo, Espalhou Nude e Abuso Psicológico ou Mental. Alguns grupos, divulgam os nomes dos supostos abusadores.

Foi o que ocorreu em São Sebastião e Caraguatatuba. Em Caraguatatuba, por exemplo, a lista consta com mais de 170 nomes, inclusive de pessoas bem conhecidas na cidade. Em São Sebastião, a polícia civil não informou quantos nomes constam na lista que circula na cidade de homens denunciados por abuso ou assédio sexual.

Segundo o delegado Pagliarini, que investiga o Exposed em São Sebastião a partir de denúncia feitas por homens da cidade que tiveram seus nomes incluídos na  lista, o grupo não pode expor as identidades dos abusadores nas redes sociais.

Ele informou que muitos homens estão procurando o 1º. DP com a mesma reclamação. “Isso significa que muitas mulheres serão investigadas por conta dessas imputações injuriosas e difamatórias”, adiantou.

“A conduta dessas mulheres, e dos responsáveis por esses grupos, configura crimes de injúria, difamação e exercício arbitrário das próprias razões. Após regular instrução o caso será remetido ao Poder Judiciário para as devidas providências”, disse Pagliarini.

Apesar do Exposed estar atuando em todas as cidades do Litoral Norte, O delegado apura apenas a atuação do grupo em São Sebastião. Já foram expedidas intimações para autoras desses crimes, mas por se tratar de um crime contra a honra, as investigações seguem em sigilo.

O problema é listar e tornar público através das redes sociais os nomes dos envolvidos, que segundo a polícia civil, trata-se de injúria e difamação. “O correto é a vítima procurar a polícia, a delegacia da Mulher e fazer a denúncia e dar o nome do suposto envolvido. A polícia vai apurar devidamente o caso”, alertou Pagliarini.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: