Caraguatatuba Cidades

Dossiê aponta que 1,2 milhão de árvores foram derrubadas no município de São Paulo

Parque do Ibirapuera(SP)
Vereador do PV cobra, desde 2014, ação de governantes para acabar com devastação da Mata Atlântica
O vereador Gilberto Natalini PV/SP, lançou em abril deste ano, a 2ª Edição do Dossiê: “A Devastação da Mata Atlântica no Município de São Paulo”. O documento, que tem 454 páginas, 700 fotos e mostra 160 áreas invadidas, denuncia a destruição da Mata Atlântica na região. Desde de 2014, quando começou a investigação, 1,2 milhão de árvores foram derrubadas na área.
O documento foi lançado pela primeira vez ano passado com os resultados da apuração. “Recebi inúmeras denúncias de devastação criminosa da Mata Atlântica; junto com a assessoria comecei a investigar, as denúncias aumentaram e em agosto de 2019 lancei a primeira Edição do Dossiê. Entreguei o Dossiê para autoridades e personalidades municipais, estaduais e federais e nada foi feito”, afirmou o vereador.
O parlamentar explica que a principal causa do desflorestamento na área é o parcelamento irregular de terra para a venda. “Os desmatamentos são feitos principalmente para construção de loteamentos clandestinos. Por falta de uma política de moradia, as pessoas compram, mesmo que sem documentação e tendo consciência que é errado”, explicou o dirigente verde.
De acordo com o vereador, a construção de moradias irregulares em pequenos lotes, faz com que a água das nascentes deixe de ir para as represas. No lugar, os cursos de água passam a levar esgoto e a contaminar os reservatórios de abastecimento da população. “Em consequência do desmatamento, consolida-se uma ameaça concreta ao abastecimento de água de cerca de 5 milhões de habitantes que dependem de duas represas situadas na zona sul de São Paulo”, apontou Natalini.
“Ao todo, 7,2 milhões de metros quadrados de Mata Atlântica foram destruídos. Com a redução da Mata Atlântica em curso, já ocorreu o aterramento e a extinção de centenas de nascentes que levavam água pura a dois reservatórios. Se nada for feito, nossos estudos estimam que mais 8,5 milhões de metros quadrados de Mata Atlântica vão ser destruídos na cidade, nos próximos anos. Como se verifica no documento, os problemas ambientais no Brasil vão muito além do desmatamento da Floresta Amazônica”, alertou o dirigente verde.
O Dossiê apresentou 52 testemunhas confidenciais, por motivos de segurança, que apontaram ao todo 72 suspeitos por crime ambiental e corrupção, entre outros delitos. O parlamentar relatou que a denúncia acarretou “inúmeras” ameaças a ele e a assessoria dele.
“Até o momento, os governos estão deixando derrubar a Mata e não tem nenhum projeto em andamento, apesar de toda a cobrança. Importante salientar que para coibir esse crime, se faz necessário que Prefeitura e Governo do Estado se juntem, montem uma força tarefa, como foi feito quando existia o Programa Defesa das Águas”, finalizou o vereador.
As denúncias também foram feitas internacionalmente. Em julho de 2020, o parlamentar traduziu o documento para o inglês e encaminhou para mais de 1.500 autoridades e personalidades, destas 600 eram internacionais, entre elas, o Papa Francisco e o Cantor Bono Vox.