Cidades Ilhabela

Falta de Saneamento foi o principal problema indicado na pesquisa do ISS

O Instituto Ilhabela Sustentável realizou sua 12º Edição Anual para a apresentação dos dados da Pesquisa de Percepção Cidadã, realizada pela equipe técnica do IIS, e em parceria com os alunos da ETC-Escola Técnica Estadual, por meio de um termo de convênio de cooperação pedagógica.

O Instituto elabora esse trabalho desde o ano de 2007. Os dados mais relevantes da Pesquisa de Percepção Cidadã foram comparados aos indicadores de qualidade de vida e gestão pública, traçando um panorama dos serviços prestados pela administração pública e mostrando como a população recebe a evolução ou deterioração de cada um deles.

As belezas naturais, o contato com a natureza e a tranquilidade são os aspectos mais valorizados. A atividade turística é vista como a vocação econômica prioritária da cidade e de maior importância para os moradores.

Segundo Gilda Nunes, coordenadora do Saneamento, “infelizmente a cidade ainda possui uma precariedade e tem problemas estruturais, sendo o mais grave o saneamento básico deficiente, que além de ser apontado como maior problema, avaliado com 64% na pesquisa é o pior serviço público”. Seguido por trânsito e a ocupação desordenada.

Os serviços públicos do município são mais bem avaliados pelos moradores. A limpeza pública está mais positiva no que diz respeito a recolhimento de lixo e varrição, mas deixa a desejar no cuidado com os canais, córregos e bueiros.

Na esfera Social o que mais preocupa a população são as drogas, o desemprego e a saúde. Os moradores percebem a melhora nos serviços prestados pelo poder público municipal na saúde.

Veranistas e turistas avaliam positivamente as opções de lazer e esportes da Ilha, mas queixam-se dos altos custos dos serviços, assim como a população sofre com o custo de vida elevado.

De acordo com o presidente, Georges Grego, o Instituto vem desenvolvendo esse trabalho para um acompanhamento da população para com a gestão pública, visando a melhoria da cidade. “Têm que haver essa mobilização da sociedade para que assim, todos possam participar da vida da cidade, obtendo também o empoderamento da sociedade aos apelos para que todos participem dos conselhos em geração do conhecimento”, relata Grego.

O  aumento no percentual de adolescentes grávidas na região chamou a atenção. O índice de jovens que deram a luz abaixo dos 19 anos é muito alto. Segundo a Drª Janete Martinez Peres, médica cirurgiã, o futuro dessas meninas é colocado em risco, e é necessária a criação de programas para apoiar a autonomia dessas adolescentes.“Com tudo o que nós temos, poderíamos ter uma saúde ainda melhor. É forte o impacto sobre a maternidade precoce, os altos riscos de violência por parte dos parceiros e as consequências de abandonar a escola”, afirma Peres.

O Instituto Ilhabela Sustentável acredita que esses fatores, somados à forte identificação com o local, compõem um cenário favorável para o envolvimento da população na discussão e implementação de ações para o desenvolvimento sustentável da cidade.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: