Cidades São Sebastião

Lidiane lança seu livro “Pitéu, o Leão” no Dia Nacional do Surdo

A professora Lidiane Correia Quinsam,  formada em Letras e Pedagogia, com especialização em Psicopedagogia, Educação Especial e Libras (Língua Brasileira de Sinais), escolheu o “Dia Nacional do Surdo”, 26/9, para lançar o seu livro lúdico de português e libras o “Pitéu, o Leão”.

Lidiane desenvolveu desde criança o gosto pela leitura. Na área da educação há 15 anos, ela utiliza poemas e crônicas de autoria própria em suas aulas, todos bilíngue. Lidiane já tem cinco livros escritos e ilustrados, mas o “Pitéu, o Leão” foi seu primeiro trabalho publicado.

Segundo Lidiane o objetivo é de auxiliar tanto crianças surdas quanto ouvintes no processo de aprendizagem, trazendo uma proposta de “representatividade e igualdade”, onde a criança surda ainda que alfabetizada na língua portuguesa tem contato com as duas línguas simultaneamente, vê sua identidade preservada e valorizada e estimula a curiosidade ao aprendizado à língua de sinais. “O livro “Pitéu, o Leão”, traz uma mensagem de empatia e respeito às diferenças” comenta.

Dia Nacional do Surdo 

O dia 26 de setembro foi escolhido para representar a luta da comunidade surda brasileira por ser a data da criação da primeira escola de surdos no Brasil. O Dia Nacional dos Surdos é uma data de reflexão a respeito dos direitos e da inclusão das pessoas surdas na sociedade. A data foi oficializada pelo decreto de lei nº 11.796 em 29 de outubro de 2008.

Em 26 de setembro de 1857 foi fundado no Rio de Janeiro pelo Imperador Dom Pedro II o Instituto Imperial de Surdos-Mudos. O professor francês Édouard Huet, também surdo, foi convidado a lecionar às crianças surdas como forma de integrar essas pessoas à sociedade. As aulas eram ministradas em Língua de Sinais Francesa, o que resultou em uma forte influência na construção da Língua Brasileira de Sinais.

Muitas conquistas já foram alcançadas, como a oficialização da Libras como segunda língua nacional, a obrigatoriedade do ensino de Libras na formação de professores, a obrigação do ensino bilíngue para crianças com deficiência auditiva e a obrigatoriedade da presença de um intérprete de Libras nos órgãos públicos. Ainda há muito a se fazer para garantir a total inclusão das pessoas surdas no Brasil, e a data serve para nos lembrar disso e promover o diálogo sobre o assunto.

Informações: libras.com.br 

error: Alerta: Conteúdo protegido!