Cidades

Litoral Norte de São Paulo reforça potencial para birdwatching

Foto: Renata Takahashi

O Circuito Litoral Norte de São Paulo está participando do 2º Festival Aves de Ilhabela, que ocorre até 25 de outubro, com extensa programação e formato híbrido (presencial e virtual).

Na ocasião, tanto o consórcio turístico, quanto representantes técnicos do turismo das cinco cidades – Bertioga, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba – estão apresentando os principais atrativos de observação de aves que colocam a região como um dos melhores destinos do Estado para a atividade.

“O Circuito Litoral Norte segue integrando e promovendo de forma complementar as atrações turísticas regionais. No birdwatching, importante atividade de ecoturismo que vem aumentando sua procura e qualificando o turista que visita a região, o Consórcio permite uma visão ampliada do produto, apresentando um bioma com uma das maiores biodiversidades do mundo, uma vez que o produto turístico soma Mata Atlântica preservada, núcleos de Parques Estaduais nos municípios, profissionais preparados no trade regional e opções de hospedagem completas para os visitantes profissionais ou a lazer. Essa é uma das vantagens de se trabalhar o turismo regional, os municípios estão integrando produto, experiências e promoção através do Festival de Aves realizado em Ilhabela, uma das cidades consorciadas”, afirma o secretário Executivo do Consórcio Turístico, Gustavo Monteiro.

Graças a Mata Atlântica preservada que compõe o bioma da região paulista, há expressiva diversidade de espécies que ali vivem ou migram. Isso porque o bioma tem uma das maiores biodiversidades e conta com avifauna com mais de 600 espécies, das quais cerca de 160 são endêmicas, ou seja, não existem em nenhum outro tipo de ambiente no mundo.

E, aliado a isso, as cidades que integram o Circuito Litoral Norte vêm investindo cada vez mais em estrutura e apoio aos fornecedores do trade que realizam esse tipo de atividade com os turistas.

Segundo o chefe de Ecoturismo de Bertioga, Aluízio Durço: “o turismo de observação de aves vem crescendo no município, aumentando o número de aves identificadas e provocando uma melhoria da qualificação dos profissionais que atuam na monitoria e condução de turistas para essa atividade dentro do território bertioguense”.

Potencial além praias

O ecoturismo é um dos principais focos além praia do Litoral Norte de São Paulo e, dentro deste segmento, o birdwatching ganha destaque por conta de seu potencial natural, assim como cachoeiras, trilhas e atividades de aventura.

Na cidade de Ilhabela, por exemplo, existem diversas torres naturais para a observação de pássaros. Nesses pontos, os visitantes têm a oportunidade de observar, fotografar e catalogar espécies como o Tiê-sangue, símbolo da Mata Atlântica, Tangará, Papagaio-moleiro – eleita a ave símbolo da ilha, a Coruja-preta, ou a Jacutinga.

Já em Bertioga, segundo o Clube de Observadores de Aves de Bertioga (COAB), há onze áreas a presença de um total de 440 espécies pertencentes a 76 famílias, sendo 21% endêmicas. Entre os lugares para realizar a atividade na cidade estão: Itaguaré; Guaratuba; Aldeia Rio Silveira; Itatinga; Trilha d´água; Caiubura; Jaguareguava; Trilha Família Pinto; Itapanhaú; SESC Bertioga; Parque das Neblinas; sendo que alguns destes locais são áreas privadas e necessitam autorização do proprietário, bem como nas áreas pertencentes aos Parques Estaduais Restinga de Bertioga e Serra do Mar que necessitam de acompanhamento de monitor ambiental local e autorização dos gestores dos parques.

Em Caraguatatuba, há pelo menos dois pontos de observação de aves: A trilha de Jequitiba e o Sítio Jacu. A primeira oferece a oportunidade de contemplar as mais belas e raras espécies da Mata Atlântica, em um percurso fácil e plano, em meio à Floresta Ombrófila Densa e preservada. Enquanto a segunda, situada na Tabatinga, é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e oferece observatórios em meio a um bosque de árvores nativas e frutíferas como frutíferas embaúbas, palmitos e figueiras. Ali é possível avistar espécies como: saíra-sete-cores (Tangara seledon), saíra-militar (Tangara cyanocephata), tiê-sangue (Ramphocelus bresilus); surucuá-de-barriga-amarela (Trogon Rufus), entre outros.

“O birdwatching é uma prática bastante comum em Caraguatatuba, tanto na região Norte, quanto na Sul. A cidade tem 80% de área de Mata Atlântica preservada, então temos muitas espécies que são vistas apenas aqui na região. Temos uma fauna bastante rica. Além disso, temos agências de receptivo que fazem esses passeios guiados e oferecem todo o respaldo aos nossos visitantes”, ressalta a secretária de Turismo de Caraguatatuba, Maria Fernanda Galter Reis.

São Sebastião também é parada para os apaixonados pela atividade. Em locais como o Núcleo São Sebastião do Parque Estadual Serra do Mar é possível contemplar a biodiversidade local e avistar diversas espécies de aves, dentre elas o Trogon viridis – Surucuá-grande-de-barriga-amarela, que é um Trogoniforme da família Trogonidae, e o Chiroxiphia caudata – tangará, que é uma ave passeriforme da família Pipridae, também conhecido como tangará-dançarino. Os bairros de Maresias e Boiçucanga também são excelentes pontos de observação, assim como o Arquipélago de Alcatrazes.

De acordo com a Secretaria de Turismo da cidade, São Sebastião possui uma incrível diversidade de aves, sendo, ao todo, 320 formas e cores que encontram com o som de seus cantos. As aves são excelentes indicadores da qualidade do ambiente, funcionando como detectores de mudanças na saúde e condições do ecossistema.

E, por fim, na cidade de Ubatuba, o birdwatching pode ser realizado, principalmente, no Centro Cambucá, administrado pelo Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar. Em uma área de 11 mil hectares, os visitantes podem fazer trilhas de fácil percurso para observação de aves migratórias. Entre as espécies ali observadas estão: Gaturamo e João Botina da Mata.

Sobre o 2º Festival de Aves de Ilhabela

A programação do evento, que começou na última segunda-feira (19) e se estende até domingo (25), conta com palestras, cursos, programação infantil, passarinhadas em pequenos grupos pelas trilhas de Ilhabela e visita a Alcatrazes e uma série de atividades virtuais, com lives, oficinas, minicursos atividades artístico-culturais.

“No ano passado, nós tivemos a primeira edição do evento, onde além de identificar quem são os players desse mercado em Ilhabela, nós também a colocamos no mapa dos influenciadores de Birdwatching em o todo mundo; traçamos as trilhas e os principais pássaros observados em cada uma delas e lançamos o ‘O Guia de Aves de Ilhabela’ incluindo as aves pelágicas, o que é um grande diferencial do nosso arquipélago. Esse novo evento vai consolidar Ilhabela no Birdwatching, um mercado que cresce muito cada ano”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Ilhabela, Bianca Colepicolo.

A programação será transmitida ao vivo e permanecerá disponível livremente no canal AvistarConecta: http://linktr.ee/aves_de_ilhabela.