Cidades Ilhabela

Livro Mulheres Velejando Pelo Mundo será lançado nesta segunda (27)

O livro Mulheres Velejando Pelo Mundo é uma coletânea de crônicas de 14 autoras, cada uma delas com ótimas histórias para contar sobre a vida a bordo de um veleiro. São aventuras de todo tipo, às vezes engraçadas, às vezes dramáticas, que revelam as viagens e paisagens marítimas sob o olhar feminino. O lançamento virtual ocorre amanhã, segunda feira(27) nas redes sociais. Uma das cronistas é Renata Liu, que disputou por vários anos a Semana de Vela de Ilhabela.

Edição bilíngue português/francês, ilustrada com um caderno de fotos coloridas. A vida das mulheres a bordo de veleiros é cheia de atividades, sentimentos e situações que testam os limites em todos os sentidos. Um estilo de vida pouco comum, rico em experiências pessoais que levam a uma compreensão diferente de coisas simples. O livro leva o leitor rumo à compreensão da visão feminina de uma atividade historicamente dominada por homens.

As autoras são velejadoras do mundo, mulheres que trabalham com veleiros, outras que usam seus barcos nos fins de semana e férias com a família, algumas comandantes de seus barcos, outras que correm regatas, aquelas que começaram a velejar cedo outras que aprenderam já adultas, mães, esposas, profissionais, algumas moram a bordo e tem também aquelas que já deixaram o mar e contam suas lembranças.

Mulheres que navegam no Brasil e mulheres que navegam no mundo. Cada uma tem sua história para contar e estão juntas nessa obra. Prefácio de Renata Grael, organização de Mariza Pacheco e Sylvia Nemer que idealizou esse projeto e reuniu as autoras: Ana Paula Ronzani Costa Chantal Cornueau Chris Amaral Cida Caetano Vianna Cyntia Franco Danielle Ferreira Jurema Stussi Lisia Monnerat Haddad Marcia Cunha Mariza Pachecco Patrícia Caetano Abreu Renata Liu Sylvia Nemer Tatiana Zanardi.

Editado pela 7 Letras o livro possui 28 crônicas em suas 304 páginas. O lançamento virtual ocorre amanhã, segunda feira 27 de julho de 2020 nas redes sociais @mulheresvelejandopelomundo (Instagram, Facebook e YouTube). O lançamento físico que estava programado para abril no Iate Clube do Rio de Janeiro foi adiado devido à pandemia, portanto as autoras estão preparando uma ação virtual para marcar o início das vendas. O livro pode ser adquirido na Livraria Travessa (www.travessa.com.br) e pelo site da Editora 7 Letras (www.7letras.com.br/mulheres-velejandopelo-mundo.hml). Os interessados podem acessar o Instagram e concorrer ao sorteio de um livro e cupons de desconto. /mulheresvelejandopelomundo /mulheresvelejandopelomundo

 

Personagem

Velejadora Renata Liu, primeira a esquerda na foto(Arquivo Pessoal)

A velejadora Renata Liu é uma das cronistas do livro. Ela concedeu uma entrevista ao Tamoios News sobre sua crônica. Renata está atracada com seu veleiro Kabulete, em Barra de São Miguel, no litoral de Maceió. Ela está a 15 meses velejando pela costa brasileira, acompanhada pelo marido Guillermo.

Renata tem um histórico muito legal. Seus pais vivem na Ilha Grande, em Angra dos Reis e possuem casa de veraneio em São Sebastião, mas ela vive no mar, junto com Guillermo, numa embarcação de 43 pés.

Seu avô, Natalino Santos, falecido no ano passado aos 96 anos, foi condutor durante muitos anos da lancha Lazetti, que deixava, semanalmente, o cais da Praça Mauá, no Rio de Janeiro, para transportar mantimentos para o então presídio que existia na Ilha Grande, onde estiveram presos personalidades como Graciano Ramos, Agildo Barata e Fernando Gabeira. O presídio foi desativado em 1994.

Velejadora Renata Liu na Semana de Vela de 2018

A velejadora disputou por várias vezes a Semana Internacional de Vela em Ilhabela e outras competições como Copa Suzuki e as regatas promovidas pelos moradores da Ilha, entre elas, a da Caipirinha e a do Camarão. “As provas da semana de vela são muito competitivas, não são para qualquer um. A gente no terceiro dia de provas, promete que nunca mais vai disputar, mas no final, começa a se preparar para aproxima edição”, disse.

Renata dedicou sua crônica no livro para relatar a disputa da regata Rio Prata, de 50 milhas, disputada entre Buenos Aires e o Uruguai. A prova é disputada em duplas. “Na crônica, procurei relatar um pouco da experiência, da vida a bordo, da navegação na costa e no exterior”, contou. Por Salim Burihan.

 

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: