Caraguatatuba Cidades

Perícia em celulares e computadores pode ampliar investigações na Operação Código de Ética

Comandante da PM, André Luiz Paes; promotor Renato Queiroz de Lima; delegado seccional, Múcio Alvarenga; e, delegado federal Gilberto Antônio de Castro junior

A Operação “Código de Ética”, considerada a maior ação de combate ao tráfico de drogas já realizada no Litoral Norte, deverá abrir novas investigações e ampliar o número de pessoas envolvidas com a comercialização de drogas na região.

A operação deflagrada no dia 11 pelo Ministério Público, Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar já prendeu 40 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas na região, entre elas, o líder do tráfico C.C.S., de Campinas e o vereador e advogado Flávio Nishiyama, que permanece preso na penitenciária de Tremembé, em Taubaté.

Novas investigações devem ser iniciadas a partir da perícia que está sendo realizada pela Polícia Federal nos aparelhos celulares, computadores, notebooks, tablets, pen drive e cartões de memória apreendidos durante a primeira fase da operação e dos depoimentos colhidos com as pessoas já detidas e presas.

Foram aprendidos 41 celulares, nove deles em Campinas e seis em Caraguatatuba. A Polícia Federal solicitou autorização judicial para ter acesso aos conteúdos dos aparelhos como conversas, fotos, vídeos e mensagens trocadas através do whatsapp.

Entre os celulares apreendidos estão os que pertencem ao traficante Cláudio César da Silva,  vulgo “Miguel”, “Belo” ou “Veio”, que foi preso no bairro Jardim Nova Europa, em Campinas, considerado o líder do tráfico no Litoral Norte e envolvido com traficantes colombianos.

Preso em Campinas, C.C.S. seria o líder do tráfico no Litoral Norte com ligação com o traficantes colombianos

Em Caraguatatuba, dos seis celulares que estão com a polícia federal, três pertencem a advogados da cidade investigados na operação e os outros três de traficantes presos na operação.

Um dos celulares pertence ao vereador e advogado  Flávio Nishiyama, que está preso da penitenciária de Tremembé, no Vale do Paraíba. Os outros dois, pertencem aos advogados que trabalhavam com Nishiyama, C.C.S.A. e L.E.R., que foram denunciados e sofreram busca e apreensão. A justiça não solicitou a prisão preventiva dos dois advogados.

Segundo informações, assim que a Polícia Federal “abrir” os aparelhos, os conteúdos serão repassados ao Ministério Público, que poderá solicitar novas investigações e prisões, caso surjam novas pessoas envolvidas como tráfico de drogas na região.

Foragidos

PM continua as buscas aos foragidos

Segundo o MP(Ministério Público) 13 pessoas continuam foragidas e estão sendo procuradas no Litoral Norte. Em Caraguatatuba, possuem mandado de prisão, V.G.C., vulgo “loira”, moradora do bairro do Benfica; D.F.N.V., vulgo “Sonata”, morador do Pegorelli; I.G.S.S., vulgo “Igão” e “Taliban”, morador do Perequê-Mirim; W.M.P., vulgo “Cenoura”, morador do Jardim Tarumã; e, M.D.M.A.,  vulgo “Marcinho”, morador do Travessão.

Em São Sebastião, são procurados, C.A.S.C., vulgo “Negão”, morador do Jaraguá; e, D.L.B.J., vulgo “Quicksilver”, morador do Olaria. Em Ubatuba, possuem mandados de prisão, A.S.F., vulgo “Zoio”, morador do centro e M.E.F., vulgo “Duda”, moradora Jardim Umuarama.

Em Campinas, está sendo procurado A.L.S., vulgo “Macumba”. Outras três pessoas A.M.F., vulgo “Irmão” e as mulheres, C.R.G. e G.C.M.C.