Cidades São Sebastião

Operação Torniquete: Polícia Federal investiga suposto pagamento de propina feito por empresa de lixo a um secretário municipal de São Sebastião

A Polícia Federal apurou durante as investigações da Operação Torniquete, um suposto pagamento de propina pela Ecopav para um dos secretários municipais do prefeito Felipe Augusto. O caso teria ocorrido no período em que a empresa, responsável pela coleta de resíduos sólidos, ainda operava no município em 2017. O pagamento da propina aparece em um documento do Ministério Público Federal que “vazou” nas redes sociais.

Segundo o documento, para aprofundar as investigações a PF solicitou através do MPF(Ministério Público Federal) que a Justiça Federal permita o compartilhamento de provas colhidas durante a primeira fase da Operação Torniquete, deflagrada sobre a gestão do ex-prefeito Ernane Primazzi, que apura desvio de cerca de R$ 100 milhões dos cofres públicos municipais, entre 2009 e 2016. As investigações prosseguem.

O documento, encaminhado no dia 4 de março deste ano, solicita que a Justiça Federal permita o acesso da PF as provas colhidas durante a Operação Torniquete para poder apurar se teria havido suposto pagamento de propina pela Ecopav aos atuais secretários municipais. A  empresa deixou de prestar serviços na cidade em agosto de 2018.

Segundo o documento encaminhado pelo MPF à Justiça Federal, documentações apreendidas no dia 3 abril de 2018, na sede da empresa e análises feitas em um aparelho celular do gerente operacional, levantaram a suspeita de que a Ecopav supostamente continuou corrompendo servidores públicos na atual gestão. Segundo o documento, suspeita-se que pelo menos um dos secretários teria recebido propina.

PF na sede da Ecopav em abril de 2018

Propina

Análises feitas pela Polícia Federal no aparelho celular de Idário Costa, gerente operacional da filial da ECOPAV no município, verificou-se o suposto pagamento de propina para o secretário de Serviços Públicos, Gelson Aniceto de Souza, o Tota, que teria recebido indevidamente da empresa Ecopav Construção e Soluções Urbanas Ltda., um veículo KIA SPORTAGE, placas GRC5500, no valor R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), em 17 de agosto de 2017. O veículo teria sido registrado no DETRAN/SP em nome de sua esposa Liliane Maria de Melo Aniceto de Souza.

O MPF quer autorização da Justiça Federal para que a PF tenha acesso às provas colhidas na Operação Torniquete e prossiga as investigações com a quebra de sigilo bancário de pessoas físicas e jurídicas suspeitas a partir de janeiro de 2017.

Segundo aponta documento da procuradora federal Walquiria Imamura Picoli, encaminhada para a Justiça Federal, em Caraguatatuba, diante gravidade das condutas, objeto da investigação, o Ministério Público Federal requer o compartilhamento das provas coletadas neste Inquérito a fim de instruir o IPI 52\2016-DPF\SSB-SP, mantendo-se evidentemente o sigilo dos dados compartilhados.

Procuramos a assessoria de imprensa do MPF para saber se a Justiça Federal autorizou o compartilhamento de provas solicitado pelo órgão. A assessoria informou que não costuma divulgar apurações ainda em curso e que não possui dados atualizados sobre este caso. A Polícia Federal, em São Sebastião, alegou que não poderia se manifestar porque as investigações prosseguem em segredo de justiça.

O secretário Tota foi procurado para se manifestar sobre o assunto em mensagens gravadas em seu celular e no whatsapp, mas até o fechamento da matéria ele não retornou os contatos feitos. Não conseguimos contato com a Ecopav e nem com Idário Costa, que era o gerente operacional da empresa na época dos fatos, agosto de 2017.

 

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: