Cidades Ubatuba

Projeto “Memória do Futuro” pretende resgatar e valorizar cultura caiçara, quilombola e indígena

A Prefeitura de Ubatuba fez uma parceria com o Instituto Dialeto para implantação do projeto “Memória do Futuro” com finalidade social, cultural e educativa.

Segundo o prefeito Délcio Sato, o projeto será implantado em uma área de 48 mil metros que a prefeitura recebeu do estado, que fica no Horto Florestal, próximo a rodovia Oswaldo Cruz.

Projeto será desenvolvido em área de 48 mil metros quadrados no Horto Florestal

A prefeitura cedeu a área(permissão de uso) e o instituto fara a captação dos recursos, até mesmo, internacionais para viabilizar a obra. “Será um complexo sócioculturalesportivo para atender os moradores de nossa cidade”, explica Sato.

Caiçara nato, o prefeito Sato adianta que uma das ações do “ Memória do Futuro”, será a valorização e o resgate da população caiçara, quilombola e indígena de Ubatuba. “Temos que resgatar e valorizar nossas tradições. Não podemos esquecer isso nunca””, disse, lembrando que o espaço também contará com equipamentos esportivos como quadras e campo, além de teatro ao ar livre  e um parque.

Prefeito Sato na área doada pelo estado para a prefeitura onde será implantado o “Memória do Futuro”

Vito D’Alessio, diretor do Instituto Dialeto, explica que o projeto começa em 2021. “São cerca de R$ 10 milhões para iniciar e outros R$ 7 milhões em tecnologia, recursos que serão captados junto a iniciativa privada”, adiantou.

Ele explica que o “Memória do futuro” propõe uma nova organização para o sistema de memória, um método que não leve em conta apenas a palavra formal, mas todo o conjunto simbólico inerente a comunicação humana em todos os seus extratos sociais e culturais.

 

“Um mecanismo documental, organizado e armazenado para a inteligência artificial prevendo ferramentas algorítmicas que sequer foram desenvolvidas. Uma ação que reunirá grandes especialistas e formará jovens para a construção da primeira matriz de memória multidimensional do mundo”, detalha D’Alessio..

Segundo ele, o projeto é uma ação autossustentável, com um poderoso potencial Criativo, Produtivo e Inovador, além dos resultados sociais e culturais relevantes.  Trata se de uma iniciativa privada, com apoio do setor público, uma estratégia autossustentável baseada em várias frentes de produção e financiamento.

Instituto faz a captação de recursos nacionais e internacionais para o projeto

“O seu Modelo de Negócios será baseado em várias frentes; recursos próprios oriundos da gestão do núcleo profissional, captação de recursos do setor privado, com ou sem o uso das Leis de Incentivo existentes, e as ações sociais apoiadas também por recursos pertinentes do setor público nas esferas Estaduais e Federais”, finaliza.