São Sebastião

Engenheiro desenvolve projeto de combate às enchentes para São Sebastião

Bernardo Tavolaro Foto: Simone Rocha

Durante sua vida profissional projetou e operou equipamentos para drenagens e assoreamentos

Por Simone Rocha

O engenheiro mecânico e cível, Bernardo Tavolaro de Siqueira, de uma das mais antigas e tradicionais famílias de São Sebastião, elaborou um projeto de combate às enchentes no município e foi recentemente até a Câmara Municipal entregar pessoalmente aos vereadores e também entregou em mãos do prefeito Felipe Augusto. Agora ele aguarda um retorno dos políticos e espera ser chamado para poder explicar melhor o projeto que elaborou especialmente para a cidade.

Em mais de 45 anos de profissão, Bernardo estudou, conheceu e participou de vários projetos de tecnologia e desenvolveu equipamentos para as áreas de saneamento público. “Como diretor técnico de firmas de engenharia trabalhei em obras e serviços junto as Companhias Estatais de Abastecimento de Águas e Serviços de Esgotos no Brasil e no exterior”, conta o especialista.

Na opinião dele o combate às enchentes deve ser tratado por um tripé formado pela sociedade, poder público e Sabesp (Saneamento Básico do Estado de São Paulo). “Devemos parar de ficar culpando uns aos outros e trabalharmos juntos. Só assim conseguiremos resolver esse problema tão grave que atinge frequentemente nossa cidade”, analisa Bernardo.

Em seu estudo, o profissional reforça que é extremamente necessário trabalhar na causa da enchente. “Para isso devemos fazer um diagnóstico, por meio dos quais vamos apurar tempo, custos e prioridades. Esse trabalho pode ser feito pelo quadro de funcionários da prefeitura”, explica o engenheiro. Quando passa o período de chuvas devemos verificar o que causou às enchentes e tratar cada caso isoladamente. “Na região norte de São Sebastião, temos os bairros de Enseada e Canto do Mar, como temos o rio da divisa, ali uma das formas de amenizar o problema pode ser o rebaixamento da calha. Isso seria uma das ações, lógico que existem muitos outros problemas a serem resolvidos, um deles o de não jogarmos lixo nas ruas e nos rios.  Já na região central podemos instalar bombas no canal do Ipiranga, próximo do Tebar, além da implantação de comportas para diminuir o excesso de água. Na região Sul é necessário construir galerias de águas pluviais, pois nem rede de esgoto existem em muitos bairros da Costa Sul”, exemplifica o engenheiro.

“Reconheço que o Poder Público se empenhou bravamente no atendimento às vítimas desses desastres, principalmente com os heroicos servidores da Defesa Civil, que muitas vezes trabalham sem equipamentos mais eficazes, mas isso foi feito visando os efeitos causados pelas inundações. Durante toda minha vida profissional projetei e operei equipamentos para drenagens e assoreamentos e gostaria de poder prestar meu conhecimento à nossa municipalidade, sem qualquer remuneração, pelo amor que sinto por São Sebastião”, declara Bernardo.

 

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: