Cidades Ubatuba

Ubatuba quer regulamentar o uso do “foil” nas praias da cidade

 

Por Salim Burihan

Um acidente envolvendo um praticante de foil e um surfista durante a semana na Praia Grande, em Ubatuba, deu inicio a uma ampla discussão sobre a necessidade de regulamentar o uso do equipamento nas praias da cidade.

Veja o acidente entre um praticante de foil e um surfista de long board na Praia Grande:

 

O foil é um equipamento feito de carbono(asa e mastro) e alumínio(fuselagem) usado para a prática do surf, SUP e kite surf. O equipamento é acoplado na “rabeta” da prancha e permite manobras bem radicais.

O uso do foil é feito por pranchas puxadas por lancha ou jet ski. O equipamento permite que a prancha fique cerca de 50 centímetros acima da superfície da água. É recomendado que o uso do equipamento não seja feito em praias com aglomeração de surfistas  ou banhistas.

 

O acidente ocorrido na Praia  Grande preocupou a AUS-Associação Ubatuba de Surf e o secretário municipal de Esportes, Alberto Jacob e envolveu até a Câmara de Vereadores da cidade, onde um vereador decidiu propor um projeto para disciplinar o uso do equipamento.

 

Logo após o acidente, o presidente da AUS, Marcos Carvalho, o Marcão, decidiu proibir o uso do foil nas praias da cidade temporariamente até que haja uma regulamentação do uso do equipamento pela prefeitura.

 

“Nós apuramos tudo o que ocorreu, graças a Deus não houve lesão, mas trouxe a tona uma assunto que deve ser regulamentado, talvez  por um projeto de lei ou pela prefeitura. Por enquanto a prática do foil está temporariamente proibida”, comentou Marcão.

 

O secretário municipal de Esportes, Alberto Jacob, disse que a AUS não tem competência para proibir o uso do foil nas praias. Ele disse que fará uma ampla discussão através de videoconferências para avaliar com os praticantes e associações ligadas ao surf, SUP e kite surf como o uso do foil poderá ser regulamentado em Ubatuba.

 

“Vamos fazer um estudo para regulamentar a prática do foil. Talvez, delimitando um trecho das praias ou horário diferenciado. A ideia é disciplinar, regulamentar, criar regras e normas para evitar que novos acidentes possam ocorrer em nossas praias”, disse Jacob.

Teoria

  • Base do Foil Surf é um pouco diferente da do Surf, onde o pé de trás costuma dominar os movimentos e fazer mais força. No Foil, o pé da frente que vai trabalhar mais e direcionar a prancha, enquanto o pé de trás só acompanha.
  • Posicionamento dos pés: no Foil Surf/SUP, você deve colocar o pé de trás mais ou menos em cima do mastro do Foil, no máximo, um pouquinho para trás.
  • Posição do corpo: você deve ficar um pouco mais agachado mas sem curvar a coluna, ou seja o seu dorso vai ficar na vertical. Os ombros devem ficar abertos, assim como os braços.
  • Lift (subindo e descendo no Foil): Você deve colocar pressão no pé da trás. Assim a asa é direcionada para cima e a prancha tende a subir. Quando o peso é colocado na frente, a asa é apontada para baixo e a prancha afunda.
  • Para dropar a onda: a asa tem que acompanhar a inclinação da onda, então, deve-se exercer pressão no pé da frente. Quanto mais cavada a onda, mais pressão deve ser feita. Fonte: site Comsurf

Equipamento

O equipamento mede cerca de 70 centímetro de altura. Tem uma espécie de asa, o mastro e a fuselagem. Alguns equipamentos podem custar até R$ 4 mil.

 

error: Alerta: Conteúdo protegido!