Caraguatatuba Cidades

Vereador preso pela Polícia Federal, em Caraguatatuba, foi denunciado em delação premiada

Vereador e advogado de Caraguatatuba, Flávio Nishiyama preso na operação

O vereador e advogado de Caraguatatuba, Flávio Nishiyama, preso na Operação Código de Ética” deflagrada na manhã desta terça-feira(11), pela polícia Federal, a partir de apurações feitas pelo Ministério Público, desde 2019, foi vítima de uma delação premiada.

Pessoas presas por tráfico de drogas, em Caraguatatuba, teriam denunciado o vereador e advogado, conhecido entre os traficantes como “Gravata” ou “Japonês”. O Ministério Público também obteve autorização judicial para ter acesso as conversas telefônicas do vereador.

Segundo o MP, o advogado e vereador se apresentava constantemente na delegacia para livrar pessoas detidas pelo tráfico de drogas. O objetivo, segundo o MP, era evitar que as pessoas presas denunciassem os responsáveis pelo tráfico na cidade.

Ainda, segundo o MP, Flávio Nishiyama, alugava casas para armazenar drogas ou alojar pessoas ligadas ao tráfico. O vereador e advogado também receberia uma verba mensal para defender os traficantes presos na cidade.

Nishiyama, do PTB, cumpre seu primeiro mandato  como vereador, eleito com 1.112 votos em 2016. Ele foi secretário municipal de Esportes na gestão do prefeito Aguilar Junior, mas se afastou para tentar a reeleição.

Ainda, em Caraguatatuba, a polícia federal esteve nos escritórios do advogados C.C.S.A.e L.E.R., para cumprir mandado de busca e apreensão. Teriam sido apreendidos celulares e documentos.

Prisão

O advogado e vereador foi preso no início da madrugada em sua casa, no bairro do Indaiá, em Caraguatatuba. Ele não teria esboçado nenhuma reação, mas apenas surpresa pela operação policial.

Nishiyama foi levado para exames de corpo delito no IML(Instituto Médico Legal) e em seguida, teria sido encaminhado para a sede da polícia Federal, em São Sebastião, onde deverá ser ouvido e supostamente denunciado por envolvimento com o tráfico de drogas.

A polícia federal também esteve na Câmara Municipal, segundo consta, para apreender computadores e documentos no gabinete do vereador. Não conseguimos contato como vereador. A assessoria de Imprensa da Câmara Municipal.

 

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: