Caraguatatuba Cidades Notícias Ubatuba

Usuários da Rodovia Rio/Santos reclamam do trânsito intenso entre as cidades de Caraguá e Ubatuba 

Foto: Tamoios News

O verão ainda não começou, mas já é possível notar o aumento no número de veículos nas rodovias no litoral norte, especialmente aos finais de semana.

Em um dia com o trânsito normal, saindo do centro de Ubatuba, após percorrer cerca de 54 quilômetros, chega-se ao centro de Caraguatatuba em aproximadamente 1 horas e 20 minutos.

Mas a moradora de São Sebastião Flávia Paes relata que no último domingo (29) demorou 4 horas e meia voltando da praia Vermelha do Centro de Ubatuba até Caraguá. “Chegamos em Caraguatatuba já passava das 20h e em São Sebastião 21h da noite”, afirma. Os trechos mais complicados foram em Ubatuba, na Praia Grande, que segundo ela estava “extremamente lotada” e no trecho entre Perequê-Mirim e Lázaro, onde o veículo permaneceu muito tempo sem sair do lugar.

Na percepção do morador de Ubatuba, Fábio Medeiros, que eventualmente vai a Caraguatatuba de carro ou de moto, os piores trechos de trânsito ficam na Praia Grande e na Maranduba. Ele acredita que a lentidão aconteça por causa dos veículos e pedestres que se concentram nesses locais atraídos pelas praias. A passagem de caminhões, normalmente mais lentos, em trechos de pista única também é um problema na opinião de Medeiros.

Morador do Massaguaçu há dez anos, André Celestino é dono de uma pousada e conta que quando seus hóspedes vão para Ubatuba, é comum que reclamem do trânsito. “O congestionamento piorou bastante depois que foram colocados os quebra-molas aqui na Massaguaçu. Mas também em contrapartida o número de acidentes diminuiu, porque aqui era uma rodovia onde o pessoal andava bastante rápido e tinha muito acidente com moto, atropelamento”, relata Celestino. “Estavam fazendo, num período atrás, as marginais na lateral, só que ela não é asfaltada. Muitas pessoas utilizam essas marginais, acabam até vindo em excesso de velocidade, apesar das valas, o pessoal corre bastante.” Na opinião dele, o trânsito poderia melhorar se essas vias marginais fossem melhor organizadas.

Secretaria Estadual de Logística e Transportes

A maior parte do trajeto entre Ubatuba e Caraguatatuba é feito pela rodovia Doutor Manoel Hyppolito Rego (SP-55), de responsabilidade do DER (Departamento de Estradas e Rodagem), órgão ligado ao Governo do Estado.

O DER-SP informou que realiza o constante monitoramento das rodovias sob sua administração, como é o caso da rodovia Rio-Santos (SP 055). Segundo o órgão, sua Central de Operações e Informações não tem registrado intensos congestionamentos durante a semana entre Caraguatatuba e Ubatuba, sendo que a administração do órgão estadual paulista vai até o Km 53,6 – a partir deste ponto a rodovia é federal. Nos finais de semana, quando há excesso de veículos em direção ao litoral, o DER registra alguns pontos de parada decorrente da sobrecarga do tráfego rodoviário nos horários de pico das viagens.

Durante a semana, duas obras são realizadas pelo DER entre as cidades de Caraguatatuba e Ubatuba para melhorar a segurança dos usuários. Em Massaguaçu, praia de Caraguatatuba, o DER-SP deu início, em setembro, às obras para contenção de erosão e proteção da pista, na altura do Km 59,9. A força das ondas marítimas gerou certo desgaste do aterro que compõe a rodovia. Com o término dos trabalhos, previsto para fevereiro de 2021, aterro e pista estarão protegidos. O investimento nesta obra é de R$ 7,4 milhões.

No perímetro urbano de Caraguatatuba, altura do Km 95,7, equipes trabalham para correção e proteção de talude, prevenindo deslizamentos que poderiam impedir o tráfego pela SP 055. As obras foram iniciadas em novembro e deverão ser concluídas em maio de 2021. O investimento é de R$ 4 milhões.

Prefeitura de Caraguatatuba

A Prefeitura de Caraguatatuba disse que o trecho (SP-55) em questão é de responsabilidade do Estado e o que compete ao município já é feito com fiscalizações de trânsito, melhorias em rotatórias e ações na temporada de verão com alargamento de pistas no trecho urbano nos períodos de maior fluxo de veículos, mas sempre com supervisão do DER.

Prefeitura de Ubatuba e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes

A prefeitura de Ubatuba e o DNIT foram questionados, mas não responderam até o fechamento desta matéria.