Cidades Notícias São Sebastião

Ministério Público suspeita que empresa em nome de filha e mulher seja usada por Felipe Augusto para ocultação de patrimônio

Documento do Ministério Público que requereu autorização do Desembargador do Tribunal de Justiça para busca e apreensão em sedes de órgãos públicos, residências de agentes públicos, sedes de empresas e residências dos sócios, para investigar possíveis irregularidades nos gastos da prefeitura de São Sebastião com o combate à Covid-19, levanta hipótese de suposta ocultação de patrimônio adquirido pelo prefeito Felipe Augusto (PSDB) com fontes ilícitas.

Segundo o documento assinado pelo Procurador Mario Antonio de Campos Tebet e o Promotor André Vitor de Freitas, consta em relatório técnico que instrui os autos que “apurou-se a existência de fortes indícios de que o Prefeito Felipe Augusto esteja se valendo da pessoa jurídica LABE PARTICIPAÇÕES IMOBILIÁRIAS LTDA – CNPJ
29.217.703/0001-58 para ocultação de patrimônio de sua propriedade”.

O texto menciona que a empresa foi constituída no final do ano de 2017 (primeiro ano do primeiro mandato de Felipe Augusto à frente da Prefeitura de São Sebastião), em nome de sua filha (uma criança com apenas oito anos de idade, inserida como sócia majoritária da empresa, com 99% do capital social, que hoje se encontra declarado em quase 1,8 milhões de reais) e de sua esposa Michelli Veneziani da Silva Augusto (sócia minoritária, com 01% do capital social, correspondendo a pouco mais de 18 mil reais), sendo um possível meio de ocultação de patrimônio adquirido por Felipe com fontes ilícitas.

Outra verificação mencionada é que os pais de Felipe Augusto, que contam atualmente com 70 anos de idade, possuem empresas e diversos veículos em seus nomes, inclusive motocicletas de alta cilindradas, a indicar que tais bens possam ter sido registrados em nome deles como forma de ocultação/dissimulação de patrimônio.

Os relatores evidenciam que esses fatos ainda merecem profunda investigação, mas que foram apresentados como forma de demonstrar a necessidade de que diligências fossem cumpridas em face do Prefeito.

Trecho do documento.

O Tamoios News questionou o prefeito e Michelli Veneziani, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria. O portal também tentou contato com o pai do prefeito por telefone, mas não conseguiu.